quarta-feira, 7 de março de 2018

VEJA QUEM TEM OLHOS DE VER, E OUÇA QUEM TEM OUVIDOS DE OUVIR.


Quando ainda comandante do 3º exercito, o general Mourão, dando uma entrevista a uma TV de Porto alegre, respondeu a uma pegunta que desejava saber o que faltava para os militares voltarem a governar o Brasil, com a seguinte frase; "Que o povo vote em nós".


Em outra oportunidade em palestra na loja maçônica de Brasilia, ele viria a dizer que se o judiciário não tirasse de cena, todos os que estão praticando ilícitos, eles, os militares, teriam que impor isso. Disse ainda que a intervenção viria por aproximações sucessivas. 


O general Villas Bôas, fez uma defesa dessas posições no programa do Bial na famigerada rede globo, disse também por várias vezes que as forças armadas são um bloco monolítico e estão atentas aos anseios e aos interesses da pátria.


Temos assistido nos últimos meses, uma integração entre forças armadas e o governo federal, alguns generais começaram a assumir postos chaves na politica nacional, general na direção do INCRA, general como secretário da justiça, general como ministro das relações institucionais, decretação de intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro, usando as forças armadas e comandada por um general que colocou outros 03 generais em postos de comandos das policias e sistema penitenciário.


O lema do governo federal que era "pátria educadora", foi mudado para "ordem e progresso", os hinos nacionais e os valores cívicos começaram a ser difundidos nas instituições da república.


O único candidato da direita para presidente da república, o Sr. Jair Bolsonaro, e o juiz Sergio Moro, passaram a ser condecorados em eventos e comemorações das forças armadas, o Bolsonaro sempre convidado para formaturas de novas turmas de oficiais das três armas e para a despedida do general Mourão, em uma clara mensagem de apoio e incentivo a sua candidatura a presidência da república.


O general interventor declara que o Rio de janeiro será um laboratório para o Brasil, em uma clara indireta de que a intervenção no Rio de janeiro é só a primeira de outras que virão por ai. De repente grandes apreensões de drogas e armas começaram a ser feitas.


Exige-se do judiciário o apoio incondicional as ações dos militares nas comunidades do Rio, cobra-se a oficialização da LEI DO ABATE, sem o que não haverá sucesso na intervenção legal, fecham-se as as fronteiras com outros estados e os secretários de segurança de todo o país são chamados para reunião nacional.


Pela primeira vez desde a criação do ministério da defesa, um general é colocado para ser ministro. Pela primeira vez um presidente da república é aceito em uma reunião trimestral do alto comando militar.

General RR Joaquim Silva e Luna

O general Mourão passa para a reserva e afirma que se empenhará em coordenar a candidatura de militares para ocupar a câmara e o senado para a próxima legislatura.

Fica claro para os que tem olhos de ver e ouvidos de ouvir, e que já estiveram dentro da caserna, que esses fatos mostram que as forças armadas do Brasil, a muito possuem um plano de intervenção que seja, legalista, constitucional e irreversível.
Ações planejadas devem desarmar o inimigo e o crime organizado que está a serviço da NOM, de forma gradativa através das intervenções setorizadas e sucessivas.

General Heleno declara sua opção por Bolsonaro

Começa-se a recuperar a confiança popular nas ações das forças armadas por resultados operacionais, e não por "comissões da verdade".

Não devemos esperar resultados imediatos, depois de mais de 30 anos de destruição da cultura, da educação e da infraestrutura da nação, mas não querer enxergar que há uma intervenção em andamento e que ela passa por dentro das instituições até com a "domesticação" de ministros conhecidamente comunistas e de "imposições" sorrateiras e secretas, é desconhecer e desacreditar na sagacidade e patriotismo de nossos militares. Mais uma vez o Brasil, coração do mundo e pátria do evangelho, será salvo da sanha do inimigo sem um tiro sequer.

Todos estão sendo convidados para a "luta patriótica" da qual fomos avisados para que nos preparacemos, porém caso você ainda não alcance esse nível de entendimento, ou não aceite a verdade dos fatos por não conseguir enxerga-los, então preocupe-se em não ser usado pelo inimigo, tornando-se em portador de "fogo amigo". 
SELVA! 
(Ricardo Vaguener - 04/03/2018)

4 comentários:

  1. Será interessante que no futuro possa acontecer o que no passado os militares deixaram a desejar, que foi não criar uma Guarda Nacional composta de reservistas e civis. Entendo que seja também de nossa responsabilidade botar a mão na massa !

    ResponderExcluir
  2. O que significa NOM ?

    ResponderExcluir
  3. Verídico e confortante, saber que o Brasil, haverá a volta do patriotismo. Só assim conseguiremos recuperar esta, nação!

    ResponderExcluir