quinta-feira, 31 de maio de 2018

AOS INTERVENCIONISTAS SENSATOS


Há anos eu venho dizendo que não haverá Intervenção Militar, embora afirmando, também, que os Intervencionistas desempenham um papel importante na preservação de uma pauta política oposta à da Mídia tradicional, toda esta da Nova Ordem Mundial e defensora da Esquerda, seu braço operacional.

Durante todo esse tempo, obtive respostas positivas (a maioria) e outras tantas negativas, algumas até me chamando de Comunista, somente porque eu “atrapalhava a pauta intervencionista”.

Estou nessa luta há 5 anos, chegando pelas mãos de minha filha Christina, que praticamente exigiu de mim compartilhar com a população a minha experiência. Visitem o passado, vejam TODOS os meus vídeos e textos, aqui no Facebook e no Youtube.

Eu me limitei a esclarecer sobre o tipo de guerra que estamos lutando, e tentei mostrar o caminho para sair do “enrosco” em que a Esquerda nos meteu.

Christina e eu sempre alertamos que não haveria Intervenção Militar direta, mas um tipo de “engenharia reversa” para retomar o poder.
Ninguém pode, pois, negar a nossa COERÊNCIA.

Agora, vários Generais de 4 estrelas, gente altamente preparada na lida das batalhas, vieram a público dizer exatamente a mesma coisa que dizemos há anos.

Eu acho que a maioria do povo está entendendo, afinal, o recado da caserna, e que a Direita vencerá as eleições de 2018, tanto pela conquista do cargo majoritário, na pessoa do Bolsonaro, como pela eleição de 80 militares para o Congresso.

Posso até imaginar que muitos desses militares carregarão consigo, pelo voto de legenda, alguns outros lutadores de Direita, dando mais densidade à bancada.

Mas, infelizmente, há uma minoria, basicamente formada por intervencionistas radicais, que se acham no direito de dizer que aqueles generais que se manifestaram são, também, comunistas.
Ora, ora...
Eu peço que os Intervencionistas sensatos não se deixem levar por esse radicalismo insano, e venham ombrear conosco no caminho das urnas.

Coronel Enio Fontenelle

Por culpa ou dolo, "intervencionistas" à serviço da esquerda.


Análise da situação atual:

1. Os combustíveis estão subindo demais, e isso afeta toda a cadeia produtiva.
2. Os caminhoneiros tem razão em fazer a greve, por óbvio.
3. A greve está sendo aproveitada pela Esquerda, a fim de, exacerbando-a com bloqueio de rodovias e propaganda maciça, promovendo a possível adesão de outras classes, como professores, motoqueiros, etc., conseguir encurralar o Governo e obter o “FORA TEMER”.
4. O Governo, ante a possibilidade de ver o país paralisado, tem as seguintes alternativas:
- Negociar uma forma de atender aos caminhoneiros e desmobilizar a classe, com o que a adesão de outras classes se esvai.
- Renunciar, o que é muito pouco provável, porque os militares QUEREM eleições em Outubro.
- Decretar ESTADO DE SÍTIO, para obter uma GLO nacional, na tentativa de regularizar o abastecimento, o que não agrada aos militares, que querem a NORMALIDADE institucional até as eleições.
5. Se nada disso funcionar, haverá uma INTERVENÇÃO MILITAR, destituindo todas as Instituições existentes e instalando um GOVERNO MILITAR, que pode ser provisório (convocando eleições no curto prazo) ou permanente, a fim de sanear o país. Os militares NÃO QUEREM tal solução.
6. Os Intervencionistas, aflitos e decepcionados pela inutilidade de todo o seu esforço até agora, dão todo apoio à greve, desconhecendo que esta é o desejo da Esquerda, que sabe que vai perder as eleições e quer evitá-la, saindo da situação como VÍTIMA.
7. O que é melhor para o Brasil, que coincide com o desejo dos militares?
- Interrupção da greve e retorno dos caminhoneiros ao trabalho, regularizando o abastecimento.
- Para isso, o preço dos combustíveis, notadamente o óleo diesel, TEM QUE BAIXAR, mesmo a custo de dificuldades governamentais no equilíbrio de suas contas.
- Ao Governo interessa fazer isso, função do seu baixo nível de aceitação popular nas vésperas das eleições.
8. Aparentemente, fora do assunto:
1) Bolsonaro está bem à frente dos demais pré-candidatos no RN.
2) Bolsonaro é recebido por uma multidão em Salvador, HOJE.
9. Esses dois assuntos tem TUDO A VER UM COM O OUTRO. A Esquerda está tentando inviabilizar as eleições de Outubro. SÓ FALTOU COMBINAR COM OS MILITARES.

Enio Fontenelle, Coronel EB Ref.

Governo identifica a infiltração de intervencionistas e outros dois grupos entre caminhoneiros



O governo investiga a infiltração de três movimentos políticos – “Intervenção militar já”, “Fora Temer” e “Lula livre” – na paralisação dos caminhoneiros. A suspeita é de que esses grupos estão por trás da manutenção dos bloqueios, mesmo após ter boa parte de suas reivindicações atendidas ou ao menos encaminhadas. Essa é uma leitura feita nas reuniões do gabinete de crise montado pelo Palácio do Planalto na semana passada, de acordo com o jornal O Estado de S. Paulo.
O presidente da Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), José da Fonseca Lopes, afirmou em entrevista coletiva que há um forte grupo de intervencionistas infiltrado na paralisação dos caminhoneiros.
“Quem quer derrubar o governo que monte um movimento, não use a Abcam”, disse. “Os caras querem dar um golpe neste país e eu não vou fazer parte disso”, acrescentou.
O presidente do Sindicato dos Transportadores Autônomos de Ijuí, no Rio Grande do Sul, Carlos Alberto Litti, também reconhece a infiltração no movimento de defensores de um golpe militar.
“Para esses que têm posição extremista, esse ou qualquer outro acordo não iria funcionar porque a intenção não é resolver problemas, mas criar o caos, a instabilidade”, afirmou.
Segundo o Estadão, líderes dos caminhoneiros informaram ao Planalto em reunião no último domingo (27) que os infiltrados somam algo como 10% a 15% do movimento. A informação foi recebida com irritação pelas autoridades federais, principalmente por envolver o “Fora Temer”.
O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse que a Polícia Rodoviária Federal vai intervir para afastar esses grupos. “A PRF conhece as estradas onde trabalha, conhece quem é líder do movimento caminhoneiros e sabe das infiltrações políticas. Ela está mapeando e não quer cometer nenhuma injustiça. Com muita cautela, vai começar a separar os infiltrados.”

quarta-feira, 30 de maio de 2018

A Intervenção Militar é você que faz!


Há 54 anos, pediram Intervenção Militar. Foram ouvidos. O Brasil foi salvo, mas teve que pagar um preço. Ao longo dos anos, a Intervenção virou “golpe” e o governo militar, “ditadura”. Os heróis foram abandonados, esquecidos e injuriados... viraram “torturadores e fascistas”. Quem abraçou a carreira militar, tem que conviver com salários abaixo do medíocre, face às enormes responsabilidades com que têm de lidar, usualmente é “amordaçado” para não se manifestar como cidadão, é caçado e morto na “cidade maravilhosa”, não têm equipamentos, armamento e munição para estarem preparados para fazer o que deveriam e tem que ver seus filhos aprenderem nas escolas que as FFAA eram o “lado inimigo” enquanto Marighelas e Dilmas eram “bravos heróis que lutaram por liberdade” e a “Comissão da Verdade” prova isso só com palavras...

Não votar é colaborar muito para que a esquerda eleja um governante.

Pois bem. A História evolui, mas é cíclica. O Brasil se vê nas entranhas de um poço e continua cavando. Alguns pedem desesperadamente por Intervenção Militar sem saber ao certo o que é e pra que serve. Pois eu digo: Resolvam o problema com o “voto direto” que tanto pediram após abandonarem e cuspirem naqueles que os salvaram. Suportem as convulsões de um organismo adoecido, pois não aceitaram remédios amargos antes! Hora de ser “brasileiro com muito orgulho e muito amor”!

Se a sociedade quisesse heróis, teria sido justa na História. Hoje a sociedade não necessita de salvação, mas sim de evolução. Na beira do penhasco, ou se extingue ou se evolui. Não quero estar sentado numa cadeira, em 30 anos, respondendo como um criminoso, só porque fiz o que tinha de fazer pra salvar o meu país.
Autor: Marcelo Gonçalves

"Nós não somos a solução dos problemas do País, nós não somos a sua representatividade legal nem constitucional", diz militar

Ten Cel Ref  Regina Moézia

Intervencionistas nas portas dos quartéis se lamuriando e com eles milhões nas redes sociais. Clamam para que os militares resolvam o problema político do brasil, mas estiveram ausentes da política por décadas. Estão como criancinhas que depois de fazer algo errado procuram desesperadamente alguém que conserte a merda que fizeram. Ora, a Sociedade tem que amadurecer! Refitam! Qual é a saída democrática para a situação? Embora os diversos militares intervencionistas ativos durante anos estejam apontando o caminho, hoje os taxam de covardes. 

General Mourão

General Mourão

General Heleno e Mourão, Coronel Ênio Fontenelle estão entre eles e apostam nas urnas que os intervencionistas teimam em dizer "fraudáveis" para justificar seu repúdio e não assumirem suas responsabilidades. As urnas não são fraudáveis, foram fraudadas! Fraudadas na medida em que do universo eleitoral, onde 66% é de direita, destes mais da metade comete o BAN (votos em Branco, Abstinência e Nulos), deixando a minoria de esquerda bem a vontade para eleger um governante no País. Se confiam nas Forças Armadas para assumir a direção do País, deveriam confiar também em seus Institutos Tecnológicos IME e ITA na garantia de lisura nas eleições, afinal nunca se viu tantos militares se lançarem candidatos numa eleição como esta que está para acontecer. 

General Heleno

Os ajude a fazer a Intervenção Militar, pois, com tomada abrupta de Poder não acontecerá, ouça os sinais que estão nos dando. Não estamos em 64, estamos no século XXI!

terça-feira, 29 de maio de 2018

Estão batendo em porta errada!


Meus amigos...

Realmente eu não entendi porque as manifestações em apoio a justa greve dos caminhoneiros, em grande parte das cidades acabou indo para na frente de alguns quartéis das FFAA. Estão ao meu ver batendo na porta errada. Deveriam sim estar cobrando ações de Vereadores, Prefeitos, Deputados e Senadores.

Não vejo absurdamente ninguém cobrar dessa corja ações ou mesmo que os mesmos trabalhem em favor daqueles que os elegeram.
Não vejo ninguém descarregar suas frustrações ou anseios contra aqueles que realmente são os culpados por tudo que estamos vivendo atualmente.

Não vejo o chamado povo cobrando explicações sobre a não atuação parlamentar, sobre os desvios de verbas, sobre os benefícios recebidos sobre os polpudos salários e das vantagens financeiras em termos de gastos públicos que não têm prestação de contas.
Não vejo ninguém também gritando na porta dos Palácios de governo ou assembleias exigindo seriedade, ações pro ativas, reversão de distribuição de recursos como o Fundo Partidário.

Não vejo cobranças sobre a real situação da Saúde e da educação nos níveis municipais e estaduais como se eles não fossem os reais responsáveis. Porque as cobranças nos quartéis, se a força das armas é menor que a força dos títulos eleitorais?
Sim, embora alguns não gostem de escutar ou ler nós não somos a solução dos problemas do País, nós não somos a sua representatividade legal nem constitucional, pois não fomos eleitos nem temos mandato. Somos Povo , Povo fardado que cumpre a Lei, que prega a Ordem e que só o faz dentro dos preceitos constitucionais. Os quartéis não têm ligação com Palácios ou Ministérios, com Câmaras ou Assembleias de espécie alguma.

Vocês erram a bater nas nossas portas enquanto os devidos responsáveis estão no vosso meio ainda tentando se aproveitar disso para se reeleger ou para tentar buscar apoio para as próximas eleições em outubro.
Cobrem de que tem que ser cobrado. Busquem a solução junto aos seus eleitos e por vocês escolhidos como representantes democráticos. Em vez de ficarem se lamuriando nos aquartelamentos façam valer suas vozes junto a outros portões que não os das FFAA. Hoje pedem e amanhã nos esquecem e abandonam a própria sorte como já o fizeram passados 54 anos. Reclamem a quem de direito e em nome do Povo Fardado também.

Lutem em outra Seara que não os nossos portões.

Está na hora de sermos sérios para não nos convertermos em uma republiqueta de bananas ou num País convulsionado pelo fratricídio. Nós os militares faremos aquilo que estiver legalmente determinado e fundamentado nas Leis e na Ordem e Progresso, pois não existe a tal Intervenção Constitucional Cívico Militar tão solicitada."

Coronel de Infantaria Norton Luis Silva da Costa

Etchegoyen diz que intervenção militar é assunto do passado


O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, Sergio Etchegoyen, disse terça-feira (29) que intervenção militar “é um assunto do século passado”. O ministro participou de reunião do Grupo de Acompanhamento da Normalização do Abastecimento, no Palácio do Planalto, quando informou também sobre a prisão de manifestantes no Maranhão que faziam bloqueio de estradas.

“Vivo no século 21. Meu farol que eu uso para me conduzir é muito mais potente que o retrovisor. Não vejo nenhum militar, não vejo Forças Armadas pensando nisso. Não conheço, absolutamente”, disse o ministro ao ser questionado sobre manifestações a favor da intervenção militar no país. E completou “Eu vivo no século 21, quero construir um país, como todos militares queremos construir”.

Ação de oportunistas
A reunião do Grupo de Acompanhamento da Normalização do Abastecimento teve a participação de ministros de diferente áreas para discutir a situação do país após as negociações para encerrar o protesto dos caminhoneiros pela alta dos combustíveis. Segundo Etchegoyen, a avaliação desta terça-feira (29) é que o problema é menos os caminhoneiros e mais a ação de “oportunistas” que atrapalham a retomada da normalidade.

Jornal do Brasil

O Exercito Brasileiro não vai se lançar numa aventura como uma Intervenção Militar com tomada abrupta do poder sem respaldo suficientes que justifiquem isso, e esse respaldo não é visto nas reações do brasileiro. Vários Generais já se manifestaram a respeito, inclusive sobre as eleições e colocando seu ponto de vista sobre um pré candidato militar à Presidência da República. 


Os que teimam em não entender o que está sendo proposto, que teimem em queimar o pré candidato e incentivar o BAN (votos em branco, abstenções e nulos) nas próximas eleições que se aproximam. A direita é maioria, mas, com esse ponto de vista, a esquerda vence fácil.

SEXALESCENTES OU… SEXYGENÁRIOS?

Amigos, quem já dobrou o Cabo da Boa Esperança dos 60 anos precisa ler estes comentários da Tita Teixeira, autora que não conheço, provavelmente portuguesa pelo estilo da escrita. Quem ainda não dobrou, um dia vai dobrar. Melhor então que vá se preparando desde já. A fase dos 60 em diante não precisa ser, necessariamente, uma droga… (Luis Pellegrini)


Se estivermos atentos, podemos notar que está a aparecer uma nova classe social: a das pessoas que andam à volta dos sessenta anos de idade. Os sexalescentes: é a geração que rejeita a palavra “sexagenário”, porque simplesmente não está nos seus planos deixar-se envelhecer.

Trata-se de uma verdadeira novidade demográfica – parecida com a que, em meados do século 20, se deu com a consciência da idade da adolescência, que deu identidade a uma massa de jovens oprimidos em corpos desenvolvidos, que até então não sabiam onde meter-se nem como vestir-se.

Este novo grupo humano que hoje ronda os sessenta teve uma vida razoavelmente satisfatória. São homens e mulheres independentes que trabalham há muitos anos e que conseguiram mudar o significado tétrico que tantos autores deram durante décadas ao conceito de trabalho. Que procuraram e encontraram há muito a atividade de que mais gostavam e que com ela ganharam a vida.

Talvez seja por isso que se sentem realizados… Alguns nem sonham em aposentar-se. E os que já o fizeram gozam plenamente cada dia sem medo do ócio ou da solidão, crescem por dentro quer num, quer na outra. Desfrutam a situação, porque depois de anos de trabalho, criação dos filhos,
preocupações, fracassos e sucessos, sabem bem olhar para o mar sem pensar em
mais nada, ou seguir o vôo de um pássaro da janela de um 5.º andar…


Neste universo de pessoas saudáveis, curiosas e ativas, a mulher tem um papel destacado. Traz décadas de experiência de fazer a sua vontade, quando as suas mães só podiam obedecer, e de ocupar lugares na sociedade que as suas mães nem tinham sonhado ocupar.

Por exemplo, não são pessoas que estejam paradas no tempo: a geração dos “sessenta”, homens e mulheres, lida com o computador como se o tivesse feito toda a vida. Escrevem aos filhos que estão longe (e vêem-se), e até se esquecem do velho telefone para contatar os amigos – mandam e-mails com as suas notícias, ideias e vivências.

De uma maneira geral estão satisfeitos com o seu estado civil e quando não estão, não se conformam e procuram muda-lo.

Raramente se desfazem em prantos sentimentais.

Ao contrário dos jovens, os sexalescentes conhecem e pesam todos os riscos. Ninguém se põe a chorar quando perde: apenas reflete, toma nota, e parte para outra…

Os maiores partilham a devoção pela juventude e as suas formas superlativas, quase insolentes de beleza; mas não se sentem em retirada.

Competem de outra forma, cultivam o seu próprio estilo…

Os homens não invejam a aparência das jovens estrelas do esporte.

Nem as mulheres sonham em ter as formas perfeitas de um modelo.

Em vez disso, conhecem a importância de um olhar cúmplice, de uma frase inteligente ou de um sorriso iluminado pela experiência.

Hoje, as pessoas na década dos sessenta, como tem sido seu costume ao longo da sua vida, estão a estrear uma idade que não tem nome.

Antes seriam velhos e agora já não o são.

Hoje estão de boa saúde, física e mental, recordam a juventude mas sem nostalgias tolas, porque a juventude ela própria também está cheia de nostalgias e de problemas.

Celebram o sol em cada manhã e sorriem para si próprios…

Talvez por alguma secreta razão que só sabem e saberão os que chegam aos 60 no século 21…

Por Tita Teixeira

Silêncio que mete medo


Um silêncio tão grande que mete medo! 
Que mete medo em toda essa corja de corruptos terroristas comunistas que deixamos infantilmente escapar, e que hoje tomaram conta “do pedaço”, deixando o Brasil na maior esculhambação do mundo, coisa nunca nem de longe imaginada, só perdendo mesmo para a Venezuela; coisas que nem mesmo naqueles tempos de 64, quando os militares, atendendo terços, rezas e apelos, tomaram conta, deixando o Brasil durante saudosos vinte anos, na maior lua de mel! Mas, “bobearam”; em vez de baixar o cacete mesmo, como fez o Fidel Castro, não; ficamos passando panos quentes nas bundinhas redondinhas e moles e deu no que está dando. Um Brasil impossível de remediar! A não ser com muito sangue, muito suor, muitas lágrimas! Daí ser melhor mesmo deixar as Forças Armadas neste silêncio que mete medo, mas capaz de acordar os túmulos daqueles velhos generais! 


Mas é bom não esquecer do que esses “generais” são capazes! E que é de “bom alvitre” não ficar cutucando cobra com vara curta, esquecendo que quanto mais sossegada é a cobra, mais mortal ela é! A cascavel, por exemplo, como uma vez eu vi lá nos “Tiriós”, uma tribo de índio lá no meu Pará, onde a gente costumava pernoitar, naqueles nossos velhos e bons tempos. A gente ia passando, passando, e ela quieta, encolhida, enroscada, mexendo só com o rabo, sacudindo o chocalho; avisando! Não mexa com ela, nos diziam os frades missionários alemães; ela pode se “emputecer”! ...

José Agostinho Maciel, veterano EPCAr

SOU SEXY … SEXAGENÁRIO


De repente você acorda sexy. Passa um filme em sua cabeça, sessenta anos de tela, um curta metragem, ou melhor, um trailer. Fui tudo muito rápido. Uma amostra do que a vida deveria ser. Tudo foi ontem.
Tenho a impressão de ter todas as idades ao mesmo tempo, como se o tempo nem existisse.
Agora sou minoria. Privilegiada ou perseguida, não se sabe direito, como em toda minoria. Já tenho um estatuto próprio, o Estatuto do Idoso. Sinto-me muito protegido, parece que um IBAMA paira sobre minha cabeça come se eu fosse uma espécie em extinção.
Dizem que estou na terceira idade. Acho essa divisão meio estranha. Para benefícios que não custam nada tenho privilégio, mas para outros como isenção parcial de imposto de renda, ônibus. metrô e outras coisas grátis, vou ter de esperar mais um pouco.
Mas já posso furar filas e tomar vacina contra gripe. Você já reparou a lerdeza das filas de idosos em supermercados? É que todos querem passar receitas (médicas ou culinárias) para o caixa, ou pior ainda, resolvem facilitar o troco. Duas horas para achar moedinhas.
Dizem também que o sexy está na ““ melhor idade”. Acho puro eufemismo. A garotada da rua diz que estou é velhinho mesmo.
Mas o melhor da idade são os direitos que a vida me conferiu, independente de qualquer Estatuto.
Agora eu já tenho o direito de falar e escrever errado, ser mal educado, dizer tudo que me passa na cabeça. Falar palavrão, esquecer compromissos, andar mal vestido, comer de boca aberta,sentar no banco da praça e estou proibido apenas de uma coisa: PASSAR VONTADE.

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Sem regalias de ex presidente.


Preso, Lula não precisa de benesses conferidas a ex-presidentes, decide juiz.

O juiz federal Haroldo Nader, da 6ª Vara de Campinas (SP), acolheu tutela de urgência em ação popular e mandou cortar "todas as benesses" a Luiz Inácio Lula da Silva, como ex-presidente (2003/2010). O argumento central do magistrado é que na prisão da Lava Jato, em Curitiba, o petista estaria em melhores condições de segurança do que quando em liberdade.
"O ex-presidente está sob custódia permanente do Estado, em sala individual (fato notório), ou seja, sob proteção da Polícia Federal, que lhe garante muito mais segurança do que tivera quando livre", escreveu.
A decisão judicial foi divulgada pelo Núcleo de Comunicação Social da Justiça Federal em São Paulo. A ação popular foi movida por Rubens Alberto Gattu Nunes.
O magistrado destacou a desnecessidade da mobilização de "alguns agentes" para acompanhar Lula aonde fosse. "Também é absolutamente desnecessária a disponibilidade de dois veículos, com motoristas, a quem tem o direito de locomoção restrito ao prédio público da Polícia Federal em Curitiba e controlado pelos agentes da carceragem", seguiu o juiz.
"Qualquer necessidade de transporte a outro local é de responsabilidade Policial Federal e sob escolta. Sem qualquer justificativa razoável a manutenção de assessores gerais a quem está detido, apartado dos afazeres normais, atividade política, profissional e até mesmo social não há utilidade alguma a essa assessoria."
"Logo, a permanência desses benefícios e, principalmente, seu pagamento à custa da União, são atos lesivos ao patrimônio público, pois é flagrante a inexistência dos motivos."

quarta-feira, 16 de maio de 2018

O “Documento” da CIA é alguma coisa que boia!


Caros amigos
Estamos diante de mais uma ridícula tentativa de demonizar o Regime Militar.
Desta feita surge a notícia de um “documento” da CIA, certamente oriundo de um “telegrama” da baixada dos EUA, em Brasília, dando conta de uma suposta REUNIÃO SECRETA entre o Presidente Geisel e três outros Generais da alta cúpula do sistema de inteligência brasileiro, realizada em março de 1974, na qual teria sido autorizada a eliminação terroristas subversores da ordem pública e da segurança interna do País.
RIDÍCULO,  repito, porque, se uma reunião deste nível tivesse ocorrido de fato, para tratar de um assunto de tamanha gravidade, obviamente, todas as medidas de segurança teriam ter sido tomadas para que ninguém,  além dos quatro citados, tivesse conhecimento dela e do seu conteúdo.
Qual deles teria sido a “fonte” que “vazou” o que está sendo tratado como informação e que não passa de especulação?
Para que esse “documento” pudesse ser tratado com um mínimo de seriedade, deveria ter, pelo menos, uma avaliação de veracidade do conteúdo e de confiabilidade da fonte. Portanto, não passa, como já disse, de especulação de algum funcionário da Embaixada Americana, querendo mostrar serviço aos seus superiores. Quem testemunhou os diálogos do encontro? Onde estava o agente americano?  Havia escutas da CIA na sala de reuniões do Palácio do Planalto usada para decidir sobre a “vida e a morte” de terroristas brasileiros?
A “descoberta” desse telegrama na Internet visa não mais do que dar assunto para antigos e novos atores do comunismo de sempre que, nas suas investidas sobre a soberania dos estados e sobre a liberdade dos cidadãos, promoveu e ainda promove, comprovadamente, em cem anos de horrores e trevas, mais de 100 milhões de mortes.
Não se trata de uma disputa para saber quem matou mais ou quem matou menos, mas de uma ridícula tentativa de reduzir a também comprovada confiança do povo nos militares brasileiros, a qual será posta à prova nas próximas eleições.
Finalizo este comentário com um pensamento bastante conveniente para o caso: “Os que se afogam acabam por agarrar-se a tudo que boia”!
Pensem nisso…
Gen Bda Paulo Chagas

segunda-feira, 14 de maio de 2018

A Mãe do ano.


PM que matou ladrão na porta da escola em Suzano é homenageada por governador de SP

A cabo da PM Kátia da Silva Sastre, de 42 anos, foi homenageada na manhã deste domingo (13) pelo governador de São Paulo, Márcio França (PSB), após reagir a uma tentativa de assalto, atirar e matar um ladrão em frente à escola da filha em Suzano (Grande SP), na manhã deste sábado (12).
França entregou flores à policial militar em cerimônia no Comando de Policiamento de Área Metropolitana-4, na Vila Esperança, zona leste de São Paulo.
Lembrando que o bandido morto, de 20 anos, já havia sido preso e condenado pelo mesmo tipo de delito há dois anos quando tinha 18. Certamente ainda estaria vivo se tivesse cumprindo sua pena.

“Essas pessoas [criminosos] se descontrolam facilmente. Eu não sabia se a reação dele seria atirar nas crianças ou na mãe ou no responsável que estava na porta da escola. Pensei apenas em defender as mães, as crianças e a minha própria vida e da minha própria filha”, disse a policial militar que está há 20 anos na corporação. 
A Procuradora de Justiça Elianna Passarelli defende a ação da policial. Além da Legitima defesa, a "Legitima Limpeza".

O governador afirmou que o evento era para "cumprimentar a destreza, a técnica e a coragem" da cabo. "A homenagem é feita porque é Dia das Mães, e ela é mãe", afirmou ao ser questionado se o agradecimento não iria contra a filosofia de redução de letalidade policial.
"A gente não pode deixar de enaltecer toda a técnica que você usou nesse episódio, da maneira rápida que você agiu e, ao mesmo tempo, a coragem que você teve, porque poderia simplesmente se omitir naquela situação, pois estava de folga, à paisana", disse França à policial.
Kátia estava de folga e tinha ido participar da festa do Dia das Mães na escola da filha mais velha.
Enquanto não houver Justiça, a devida "limpeza" estará acontecendo.



sábado, 12 de maio de 2018

Bolsonaro é favorito no Estado do Rio


Eleição presidencial: pesquisa aponta que Bolsonaro é favorito no Estado do Rio, com ou sem Lula

O deputado Jair Bolsonaro é o pré-candidato à Presidência da República que mais se destacou no levantamento feito pelo Instituto Paraná Pesquisas sobre intenção de votos dos eleitores fluminenses. No cenário em que os ouvidos na pesquisa tinham também como opção o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o parlamentar do PSL alcançou 25,1% da preferência, enquanto o petista ficou em segundo lugar, com 21,5% — um empate técnico, levando em consideração a margem de erro de 2,5% para os resultados gerais.
Ao todo, foram ouvidos 1.850 eleitores em 44 municípios do Estado do Rio, divididos em grupos por sexo, faixa etária a partir de 16 anos, grau de escolaridade e nível econômico. As entrevistas aconteceram entre os dias 4 e 9 de maio deste ano, período em que o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa ainda não havia decidido se participaria ou não do pleito em outubro, aparecendo, por isso, nos vários cenários expostos pelo instituto. 
Pesquisa com LulA

Na lista de pré-candidatos apresentada com o nome de Lula, a terceira colocação ficou com Marina Silva (Rede), com 9,7% dos votos. Barbosa surgia, então, em quarto lugar, com 9,4%, seguido por Ciro Gomes (PDT), que recebeu 7,0% das indicações — todos tecnicamente empatados. Quando o cenário foi apresentado sem Lula, houve poucas mudanças no quadro. Na migração dos votos de Lula, Marina Silva foi a que mais cresceu entre os primeiros colocados, subindo para 13% (alta de 3,3%). Ciro Gomes alcançou 9,9% (2,9% a mais). Mas o fato é que a situação ficou ainda mais confortável para Bolsonaro, que não só se manteve em primeiro como também teve acréscimo de votos, chegando a 27,4% (alta de 2,3%). 

Pesquisa sem Lula


Outro dado relevante é que, na exposição com Lula, o número de eleitores que preferiu não votar em ninguém foi de 11,3% entre os entrevistados. Quando Lula sai da disputa, esse número salta para 17,1%, um aumento de 5,8% entre as pessoas que passariam a não votar em nenhuma das opções oferecidas.
Perfil dos eleitores
Temer x Meirelles 
O presidente Michel Temer também é mencionado nos cenários acima, recebendo 2,2% dos votos quando Lula não aparece na lista e 1,2% com o pré-candidato do PT. O Instituto Paraná Pesquisas também quis saber como seria o desempenho da outra opção do MDB, Henrique Meirelles. 

O ex-ministro da Fazenda do atual governo foi colocado, então, no lugar de Temer e numa lista em que o ex-presidente Lula também não foi incluído. Nesse cenário, Meirelles recebeu 1,6% das intenções de votos, ficando empatado com a candidata do PCdoB, Manuela D’Ávila; e à frente apenas de João Amoêdo, fundador do Partido Novo e ex-executivo do Itaú, que fi cou com 1,2% das preferências; Flávio Rocha (PRB), dono da Riachuelo, com 0,7%; e o lanterna da pesquisa, o economista carioca Paulo Rabello de Castro (PSC), ex-presidente do BNDES, que obteve 0,1% dos votos.



sexta-feira, 11 de maio de 2018

Sob o domínio do inimigo.



Três meses antes de tomar o tiro que mudou o rumo da minha vida, eu recebia a notícia da morte do Amâncio, irmão de turma de formação. Nós nos denominamos os 51 voluntários, por sermos os únicos do nosso concurso que ousaram passar pelo curso no Batalhão de Choque. Enfim, não é nisto que estou pensando.
Naquele dia eu estava saindo de serviço, e soube do que acontecera pelo grupo de whatsapp da turma, que por acaso verifiquei quando parei num semáforo. Cheguei em casa, deixei equipamentos, peguei minha mulher e fomos para o Hospital do Andaraí, para onde Amâncio fora levado.
Estávamos quase todos os 51 lá. Reunimo-nos numa área aberta, próxima a uma cantina, e tentávamos encontrar o que dizer uns aos outros. Sabíamos que ele dera entrada no hospital já sem vida, mas parecia que ninguém estava muito disposto a acreditar naquilo. Ora, fazíamos brincadeiras com as histórias que vivemos juntos durante o curso, ora falávamos em vingança, ora chorávamos. Até o momento em que fomos autorizados a vê-lo. Estava lá, imóvel, sem a vitalidade típica de um homem da sua idade. Dali em diante, nada! Só um silêncio sepulcral e a atmosfera de uma dor insuportável que desabava sobre todos nós.
Foi uma maneira estúpida de deixar a vida. Não por sua culpa, mas pelas circunstâncias em que lhe encontrou a morte: Um tiro na testa, disparado a esmo por um desgraçado, como quem taca uma pedra em alguém pra assustar e foge, numa missão fracassada de levar pacificação a um lugar cujo domínio, sabidamente por todos e com a conivência de todos, pertence ao inimigo.
Eu acho mesmo é que o fato do Amâncio ter sido o primeiro de nós a sucumbir nessa batalha inglória nos trouxe à tona a realidade horrível em que se tornou nossas vidas, desde o momento em que a juramos diante do pavilhão nacional. É uma realidade horrível sim, não por conta da morte em si, mas pelo solene desprezo pela nossa própria natureza humana. “Foi mais um verme”; é assim que dizem os francos com a língua e os hipócritas em seus corações.
Jamais passou pela minha cabeça a ideia de que, passados três meses, eu poderia ter sido a segunda vítima fatal dentre nós. Aliás, nós fizemos esta pergunta retoricamente lá no Jardim da Saudade, mas, verdadeiramente, ninguém se imagina numa situação como esta. Do contrário, não haveria quem tivesse coragem suficiente para envergar esta farda.
É, eu acho que é nisso que estou pensando: Ninguém imagina o fardo que é ter a vocação para entregar a vida e tudo o mais em nome da paz e do bem comum. Dentro ou fora da corporação, ninguém imagina.
Só aqueles que nasceram pra isto.
Que Deus nos proteja, porque os covardes só se multiplicam.
Força e Honra.

Texto do Sgt Roberto Santa Rosa, que teve a perna amputada por um tiro de fuzil quando sua viatura foi atacada por um bonde de marginais! Estamos juntos amigo! 
#Emocionante
#Verdadeiro



Estamos em guerra?



Você não sabe o que é ter receio de receber uma mensagem de WhatsApp, porque de uns tempos pra ca, as notícias só tem sido ruins.
Você não entende o que é pegar o telefone diariamente, mais de vez em menos de 24hrs, e ler que outro policial foi morto.
Nossa fila não está andando, ela está voando !!!
Todo dia perdemos amigos... Todo dia enterramos colegas... Todo dia nossa farda sangra !
O descaso com a nossa morte é estranho... Tratam com tanta naturalidade, como se fosse previsto. Como se não tivéssemos família.. como se não fossemos pais, filhos, irmãos de ninguém.
A gente se indigna com essa sociedade que defende o bandido e assiste as nossas perdas de forma estática. Se pronunciam com empenho quando um policial comete algum desvio de conduta. Porém, enquanto estamos "apenas morrendo" mantém o silêncio ou o ele já sabia que era assim, fez a prova porque quis".
Mesmo com tudo contra, seguimos em frente. A maioria aqui ama ser policial e continua por vocação !
Todavia confesso que tem sido bastante difícil .
Aqui tem disposição, disputamos morro e asfalto com vagabundo de fuzil, que atiram sem responsabilidades e ainda tem a imprensa pra colocar na cabeça de pessoas manipuláveis, que a guerra existe porque a polícia reage. A gente não se esconde !
Contudo, estamos sob uma legislação que não resgarda os direitos de quem dá a vida pelos outros e protege os marginais.
Nosso mug está pesado !!!
Estamos bem cansados !!!
Só nós choramos os nossos mortos !!!
É luto atrás de luto !!!
Max Reis

PMERJ presta sua homenagem na despedida do Sargento Anderson Luiz da Conceição, assassinado na Rocinha.

Chamem do que quiserem, revanche, vingança, justiça!
O inaceitável é que a morte de um homem de bem, um homem da lei fique sem resposta, para Marielle se pede justiça, para o Sgt Anderson a polícia é coagiada a nada fazer?
Digo e repito, nossos comandantes tem que aprender a dizer: FODA-SE! Para o governo, mídia e defensores de criminosos!
Honremos os nossos! 
Segundo informações preliminares nosso guerreiro do Choque, abatido ontem, Sgt Anderson, foi morto por um sniper.
Para quem não sabe Snipes são atiradores de precisão, com treinamento militar e capacidade para realizar disparos a longas distâncias!
Se for verdade temos um sério problema, que esse maldito seja caçado e pego o mais rápido possível, antes que faça outras vítimas!
Mas fica a pergunta, estamos em guerra?
Queria saber a razão da vida desse negro, pobre e morador da periferia não importar para o Psol, representantes dos direitos humanos, Marcelo Freixo e toda corja da esquerda?
Ah sim, ele não era bandido! Então pode morrer!
Major PMERJ Elitusalem Gomes Freitas


quinta-feira, 10 de maio de 2018

Detector de Corrupção.



Quer saber se um político que cumpre mandato no Congresso ou no Executivo foi condenado ou responde a algum processo na Justiça? O Reclame Aqui lançou uma ferramenta que pode ajudar: o Detector de Corrupção.

Com esse aplicativo instalado em seu celular, você tira uma foto do político (pode ser ao vivo, pela TV, num cartaz, numa foto...) e, em instantes, acessa todas as informações consolidadas a partir de dados oficiais das diversas instâncias de tribunais (STF, STJ, TJs e TRFs, por exemplo).
O aplicativo é gratuito e está disponível para Android e Iphone. Para saber mais, acesse o site http://www.vigieaqui.com.br/detectordecorrupcao