sexta-feira, 11 de maio de 2018

Estamos em guerra?



Você não sabe o que é ter receio de receber uma mensagem de WhatsApp, porque de uns tempos pra ca, as notícias só tem sido ruins.
Você não entende o que é pegar o telefone diariamente, mais de vez em menos de 24hrs, e ler que outro policial foi morto.
Nossa fila não está andando, ela está voando !!!
Todo dia perdemos amigos... Todo dia enterramos colegas... Todo dia nossa farda sangra !
O descaso com a nossa morte é estranho... Tratam com tanta naturalidade, como se fosse previsto. Como se não tivéssemos família.. como se não fossemos pais, filhos, irmãos de ninguém.
A gente se indigna com essa sociedade que defende o bandido e assiste as nossas perdas de forma estática. Se pronunciam com empenho quando um policial comete algum desvio de conduta. Porém, enquanto estamos "apenas morrendo" mantém o silêncio ou o ele já sabia que era assim, fez a prova porque quis".
Mesmo com tudo contra, seguimos em frente. A maioria aqui ama ser policial e continua por vocação !
Todavia confesso que tem sido bastante difícil .
Aqui tem disposição, disputamos morro e asfalto com vagabundo de fuzil, que atiram sem responsabilidades e ainda tem a imprensa pra colocar na cabeça de pessoas manipuláveis, que a guerra existe porque a polícia reage. A gente não se esconde !
Contudo, estamos sob uma legislação que não resgarda os direitos de quem dá a vida pelos outros e protege os marginais.
Nosso mug está pesado !!!
Estamos bem cansados !!!
Só nós choramos os nossos mortos !!!
É luto atrás de luto !!!
Max Reis

PMERJ presta sua homenagem na despedida do Sargento Anderson Luiz da Conceição, assassinado na Rocinha.

Chamem do que quiserem, revanche, vingança, justiça!
O inaceitável é que a morte de um homem de bem, um homem da lei fique sem resposta, para Marielle se pede justiça, para o Sgt Anderson a polícia é coagiada a nada fazer?
Digo e repito, nossos comandantes tem que aprender a dizer: FODA-SE! Para o governo, mídia e defensores de criminosos!
Honremos os nossos! 
Segundo informações preliminares nosso guerreiro do Choque, abatido ontem, Sgt Anderson, foi morto por um sniper.
Para quem não sabe Snipes são atiradores de precisão, com treinamento militar e capacidade para realizar disparos a longas distâncias!
Se for verdade temos um sério problema, que esse maldito seja caçado e pego o mais rápido possível, antes que faça outras vítimas!
Mas fica a pergunta, estamos em guerra?
Queria saber a razão da vida desse negro, pobre e morador da periferia não importar para o Psol, representantes dos direitos humanos, Marcelo Freixo e toda corja da esquerda?
Ah sim, ele não era bandido! Então pode morrer!
Major PMERJ Elitusalem Gomes Freitas


2 comentários:

  1. Olho por olho, dente por dente!A polícia pode mais, muito mais.

    ResponderExcluir
  2. Para começar a reorganização da sociedade é preciso começar a limpeza pelo plano alto.

    ResponderExcluir