terça-feira, 29 de maio de 2018

Estão batendo em porta errada!


Meus amigos...

Realmente eu não entendi porque as manifestações em apoio a justa greve dos caminhoneiros, em grande parte das cidades acabou indo para na frente de alguns quartéis das FFAA. Estão ao meu ver batendo na porta errada. Deveriam sim estar cobrando ações de Vereadores, Prefeitos, Deputados e Senadores.

Não vejo absurdamente ninguém cobrar dessa corja ações ou mesmo que os mesmos trabalhem em favor daqueles que os elegeram.
Não vejo ninguém descarregar suas frustrações ou anseios contra aqueles que realmente são os culpados por tudo que estamos vivendo atualmente.

Não vejo o chamado povo cobrando explicações sobre a não atuação parlamentar, sobre os desvios de verbas, sobre os benefícios recebidos sobre os polpudos salários e das vantagens financeiras em termos de gastos públicos que não têm prestação de contas.
Não vejo ninguém também gritando na porta dos Palácios de governo ou assembleias exigindo seriedade, ações pro ativas, reversão de distribuição de recursos como o Fundo Partidário.

Não vejo cobranças sobre a real situação da Saúde e da educação nos níveis municipais e estaduais como se eles não fossem os reais responsáveis. Porque as cobranças nos quartéis, se a força das armas é menor que a força dos títulos eleitorais?
Sim, embora alguns não gostem de escutar ou ler nós não somos a solução dos problemas do País, nós não somos a sua representatividade legal nem constitucional, pois não fomos eleitos nem temos mandato. Somos Povo , Povo fardado que cumpre a Lei, que prega a Ordem e que só o faz dentro dos preceitos constitucionais. Os quartéis não têm ligação com Palácios ou Ministérios, com Câmaras ou Assembleias de espécie alguma.

Vocês erram a bater nas nossas portas enquanto os devidos responsáveis estão no vosso meio ainda tentando se aproveitar disso para se reeleger ou para tentar buscar apoio para as próximas eleições em outubro.
Cobrem de que tem que ser cobrado. Busquem a solução junto aos seus eleitos e por vocês escolhidos como representantes democráticos. Em vez de ficarem se lamuriando nos aquartelamentos façam valer suas vozes junto a outros portões que não os das FFAA. Hoje pedem e amanhã nos esquecem e abandonam a própria sorte como já o fizeram passados 54 anos. Reclamem a quem de direito e em nome do Povo Fardado também.

Lutem em outra Seara que não os nossos portões.

Está na hora de sermos sérios para não nos convertermos em uma republiqueta de bananas ou num País convulsionado pelo fratricídio. Nós os militares faremos aquilo que estiver legalmente determinado e fundamentado nas Leis e na Ordem e Progresso, pois não existe a tal Intervenção Constitucional Cívico Militar tão solicitada."

Coronel de Infantaria Norton Luis Silva da Costa

Um comentário:

  1. Sempre Mais do MESMO30 de maio de 2018 04:16

    Militares não são mito diferentes dos políticos. Talvez apenas na intensidade, mas querem igualmente surfar na corrupção que igualmente campeia nas unidades.
    Colocar militar na disputa política será a guilhotina da sociedade: logo estarão fazendo siscursos populistas para se elegerem, logo serão políticos como qulquer pulha do PT, PSOL, REDE, PSDB, PMDB, PCO, PSTU,PSD ou QUALQUER outro Partido repleto de salafrários em busca da SINECURA e do PODER.

    Colocar militares ao lado de políticos profissionais é instrui-los na bandidagem e uni-los ao que há de pior na espécie humana.
    Militares eleitos com discursos demagogicos será a pá de cal sobre qualquer esperança de dignidade no exercício porco e covarde do PODER.
    Logo não mais se distinguirá o que é um político ou um militar. Afinal TODOS COMERÃO NO MESMO COCHO.

    ResponderExcluir