terça-feira, 26 de junho de 2018

Seiscentos Militares Disputarão As Eleições Desse Ano


O deputado federal Major Olímpio, presidente do Diretório Estadual do PSL-SP e um dos coordenadores nacionais da pré-campanha presidencial de Jair Bolsonaro, confirmou nessa segunda-feira ao site Congresso Em Foco que mais de seiscentos militares irão concorrer nas eleições desse ano. Entre os postulantes aos diversos cargos eletivos em disputa, estão inclusive militares de ativa das Forças Armadas Brasileiras.
Segundo o deputado Major Olímpio, somente no Estado de São Paulo são cerca de cinquenta  pré-candidatos militares. A maioria desses militares irá disputar as eleições pelo PSL, que terá Jair Bolsonaro como candidato a Presidente da República. Mas também há um grande número de militares que, em vista de circunstâncias políticas regionais, disputarão as eleições por outras legendas, como PRP, PR e DEM, mas que apoiarão a candidatura presidencial de Jair Bolsonaro.
Esse é o caso do General de Brigada Paulo Chagas, que é hoje o mais forte concorrente ao Governo do Distrito Federal. O General, que é apoiador e recebe apoio recíproco de Jair Bolsonaro, concorrerá pelo PRP. O General concedeu há poucos dias uma entrevista por telefone de cerca de uma hora ao Crítica Nacional. A entrevista pode ser ouvida nesse linkaqui. Mais abaixo, apresentamos a reprodução de outra entrevista, dada ao jornal Correio Brasiliense no dia 29 de maio.
Os cerca de seiscentos militares que disputarão as eleições desse ano representam o maior contingente de militares em uma disputa eleitoral na história recente país, e sinalizam a disposição do estamento militar de participar da vida política nacional pela via democrática das eleições. O segmento de candidatos militares formará uma das principais fileiras das forças políticas conservadoras e de direita nessas eleições.

Ai vem o mimimi de sempre, "e as urnas fraudáveis?" PQP!!! Êta povo submisso a uma possível fraude. REAGE!!! Confie nas Forças Armadas e em seus dois maiores e melhores Institutos Tecnológicos, IME e ITA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário