segunda-feira, 2 de julho de 2018

A História lembrada e homenageada.

                    Os veículos antigos do CVMARJ bem representam a Coluna da Vitória.

Destino desconhecido 

Na manhã de 2 de julho, o navio norte-americano General Mann partia sem que a maioria de seus passageiros soubesse exatamente o que estava acontecendo. “Eu me lembro de que, naquela manhã, estava no refeitório e percebi algo diferente. Quando deram 4 horas da tarde, subimos ao convés e vimos o Cristo Redentor bem pequeno. Aquilo deu um aperto no coração”, conta o veterano Ferdinando Palermo.
Muitos dos pracinhas, como eram conhecidos os soldados brasileiros, apostavam que o destino final seria o norte da África e acreditavam que jamais entrariam em combate. Durante longos 13 dias, eles entregaram-se a uma rotina que consistia em tomar um lugar na fila do refeitório, fazer exercícios de salvamento em caso de ataque e voltar para os dormitórios.
A monotonia da viagem só foi quebrada quando o Monte Vesúvio, dominando a paisagem da Baía de Nápoles, pôde ser avistado pelos integrantes daquele que seria o primeiro dos cinco escalões da FEB. O mistério havia acabado. Os pracinhas estavam na Itália. E para combater num inferno gelado. 

General de Divisão Riyuzo Ikeda, Diretor DPHCEx

Um seleto grupo de senhores, senhoras e jovens, que galgam patentes e graduações que vão do Soldado a General relembram a História desconhecida pela maioria dos brasileiros, uma História que ainda tem personagens vivos e ativos, que também se fizeram presentes nesta homenagem; o 1º Escalão da FEB parte para o cenário de guerra.

Eu, convidado para este evento, também desconhecedor da data, me fiz presente e ganhei um presente. Conhecer e ter o privilégio de participar desta merecida homenagem. Me emocionei, vibrei e também chorei. Lógico que umas lágrimas escondidas, que me esforcei para esconder mas que alguns próximos perceberam. Foi a Brasilidade, o Patriotismo e o Sentimento de agradecimento que todos deveríamos ter.
Apresentação da Banda Brasilian Piper no Monumento aos Pracinhas.

A Coluna da Vitória é uma iniciativa do Clube de Veículos Militares Antigos do Rio de Janeiro (CVMARJ), que tem por finalidade preservar veículos outrora pertencentes as Forças Armadas, restaurando e os mantendo em condições de exibição e uso.
Hasteamento do Pavilhão Nacional no Museu Historico Militar Conde de Linhares.

As palavras do Presidente do CVMARJ bem expressam o que foi o evento:
"Excelente, maravilhoso, emocionante, indescritível, inenarrável! São alguns dos sentimentos que podemos resumir de tudo que ocorreu na Coluna da Vitória Brasil 2018 no Rio de Janeiro, acreditando que também tenha ocorrido em cidades em que foram realizadas homenagens aos 74 anos do Embarque do 1º Escalão da FEB para lutar nos Campos de Batalha da Itália durante a 2ª Guerra Mundial.
Saída do comboio do Museu Militar Conde de Linhares.

Aqueles que puderam participar deste evento amplamente divulgado e justificado, jamais o esquecerão. Os amigos que por diversos motivos não puderam comparecer, perderam um dos mais belos e significativos eventos em que o CVMARJ teve a Honra de participar.
Passagem do comboio pela Av. Presidente Vargas.

Agradecemos a todos os amigos, Unidades, Entidades e Instituições que de alguma forma contribuíram para a realização destas homenagens.
Agradecimento especial a Diretoria do Patrimônio Histórico e Cultural do Exercito, na figura do seu Diretor, que se fez presente, estendendo a todos os seus componentes pela dedicação e carinho com que atenderam o nosso pedido.
Sergio Capella (direita), Presidente do CVMARJ

A COBRA CONTINUA FUMANDO! VAMOS EM FRENTE! VIDA LONGA AO CVMARJ!"
Sergio Capella, Presidente do CVMARJ
Álbum de fotos aqui

Um comentário: