sábado, 11 de agosto de 2018

Nunca foi luta de classes, é só uma luta moral.


André Monteiro, pré candidato ao Governo do Estado do Rio de Janeiro

Mais um dia e mais uma noticia dos jornais: aumenta o número de roubos 
nas manhãs do Rio de Janeiro, em especial nos pontos de ônibus.
Os fatos estão postos.

Mas ainda há os que, propositalmente, os negam.

O crime atinge, principalmente, as camadas mais frágeis da sociedade.
Sempre!

Gurgel Soares, Pré candidato à Câmara Federal (Deputado Federal)

Atinge aqueles que estão nos transportes coletivos, pois ficam parados longos tempos a espera em ponto fixo, já conhecidos pelos bandidos. Aqueles que não têm meos de se defender, que não tem armas – em todos os sentidos.

Major PMERJ Elitusalem Gomes Freitas (ao centro), pré candidato à Câmara do Estado do Rio de Janeiro (Deputado Estadual).

Atingem as mulheres. Mais frágeis fisicamente, mais cautelosas, preocupadas em criar seus filhos e netos. Vitimas majoritárias  dos crimes contra o patrimônio praticados quase sempre por homens covardes.

Atingem as crianças e adolescentes, que por sua inexperiência, não têm maiores cuidados na exibição dos (poucos) bens que possuem.

Ten PMERJ Da Silva, prá candidato à Câmara do Estado do Rio de Janeiro (Deputado Estadual)

Mais um dia e mais uma notícia: Os ricos estão deixando o país com medo da violência.
Não te importa isso? Bom, não são “os ricos” que emigram, “ricos” não é um atributo social, são eles também empregadores, consumidores, pagadores de impostos. E se a economia diminui com a redução destas categorias, diminui a sociedade.

A despeito disso, de estarmos socialmente divididos em vitimas e roubadores, a pauta políticos jurídica é o desencarceramento.

Por que?

Por que soltar aquele que roubou passageiros de um ônibus às seis da manhã?

Por que se preocupar em reduzir o tempo de pena de quem encosta uma faca no pescoço de uma mulher para arrancar-lhe a bolsa com seu salário – com tudo que ela possui para compras do mês?

Por que exigir realização imediata de audiência de custódia de quem espancou um jovem para roubar-lhe um aparelho celular?

Por que nunca nada é dito pelas vítimas?

Por que as vítimas não participam do processo criminal?

Por que elas não são indenizadas?

Por que o roubador não trabalha na cadeia até devolver o valor daquilo que foi roubado ou destruído?

Por que o cidadão não tem valor neste País?

Por quê?

Para fazer o que deve ser feito!

Na eleição que se avizinha – não apenas naquelas de que todos falam, para presidência da república – na eleição para deputados e senadores devemos eleger representantes que olhem por todos nós que estamos nos pontos de ônibus, nas passarelas, nas calçadas e, dia e noite, vítima das mais variadas violências: é preciso leis mais duras contra o criminoso, extinção de regimes de penas fictícios, extinção de visitas íntimas e principalmente precisamos de aumento do número de vagas em unidades prisionais.

A sociedade quer paz para se desenvolver e precisa de segurança pública de verdade.

Yedda Ching San Filizzola- Juiza de Direito, TJRJ

2 comentários:

  1. Todos os meus candidatos são oriundos da vida militar. São aqueles verdadeiros guerreiros a favor da hierarquia e disciplina, que encerram a ética humana, nos quais o povo brasileiro pode confiar.

    ResponderExcluir
  2. Subtenente Bombeiro Valdelei !
    Pré candidato ao cargo de Deputado Federal pelo PSL-17 do Jair Bolsonaro.

    Brasil acima de tudo !

    Deus acima de todos !

    JUNTOS SOMOS FORTES.

    ResponderExcluir