quinta-feira, 29 de novembro de 2018

EU ME ORGULHO DE FAZER PARTE DA HISTÓRIA!

O Brasil nunca ouviu tantas verdades e, para alguns, isso é difícil.




O caso brasileiro é único no mundo. É muito maior do que o Brexit, é gigante perto da eleição de Trump. Não tivemos o impacto de uma mudança radical, como a entrada em massa dos muçulmanos no Reino Unido. Não elegemos um bilionário numa eleição com dois partidos, como nos EUA. Elegemos um capitão do Exército, sem dinheiro, sem televisão, sem apoio, sem celebridades. Mostramos ao mundo a quintessência da democracia. 


Bolsonaro não baixou a cabeça. Peitou uma das maiores empresas de mídia do planeta, os artistas formadores de opinião, a elite acadêmica, as milícias sociais, a máquina Estatal, o Stablishment. 

Todo o poder estabelecido convulsionava contra o candidato, numa tentativa desesperada de manter seus benefícios escusos. E, ainda assim, ele venceu.
Gramsci, na década de 40, disse: "Não tomem quartéis, tomem escolas. Não ataquem tanques, ataquem idéias". O filósofo Socialista esqueceu, porém, que o capitalismo evolui e, com sua evolução, DEU VOZ AO POVO. A grande mídia não é mais o principal propagador de notícias. A escola não é mais o principal propagador de conhecimento. Com o advento da internet, podemos nos informar, podemos pesquisar e, principalmente, PODEMOS FALAR.

Atentaram contra a vida do presidente, deixaram-no fora dos compromissos de campanha e, de pijamas e pantufas, NÓS O ELEGEMOS. Derrubamos um plano de poder de 3 décadas, detentor de uma militância violenta e um Estado aparelhado, sem encostar em armas, sem NENHUMA intervenção. 

Tristes dos "artistas" que não vêem a beleza do movimento. Tristes dos estudantes que não vêem a importância do momento. Vocês se orgulham de fazer parte da "resistência". 

Daura Jorge.

EU ME ORGULHO DE FAZER PARTE DA HISTÓRIA!
BRASIL ACIMA DE TUDO
DEUS ACIMA DE TODOS.

quarta-feira, 28 de novembro de 2018

A INTENTONA COMUNISTA


Palestra a INTENTONA COMUNISTA DE 1935, realizada no dia 26 Nov 2013 no auditório do Marina Park Hotel, em Fortaleza, pelo General Manoel Theophilo, Presidente do Instituto Endireita Brasil, para mais de 100 oficiais e praças da ativa e da reserva.
INTRODUÇÃO
Estamos hoje reunidos para abordarmos um acontecimento histórico ocorrido há quase 80 anos. Surge a pergunta, porque fazê-lo. Eu respondo, por que quem conhece a história estará livre de cometer os mesmos erros e usar a experiência dos outros para melhorar seu próprio desempenho. Portanto esta palestra só terá valor se podermos tirar ensinamentos para nossas vidas, para o Exercito e para o Brasil atual.
Para que isto seja possível devemos abordar como era o Brasil e Exercito naqueles tempos, ver os antecedentes. Para tanto abordaremos rapidamente os movimentos tenentistas e o Estado Novo. Falaremos de como foi a frustrada tentativa comunista de tomada do poder e chegaremos as nossas conclusões para os dias hodiernos.
Como estamos numa instrução militar, não me furtarei a realizar uma Introdução, que já estou terminando, faremos um desenvolvimento do acima explicitado e terminaremos, colocando no final algum tempo para dúvidas.


ANTECEDENTES
Uma das causas do movimento de 15 de novembro de 1889 foi a questão militar.
O descaso político para com o Exercito, desmobilizado após a guerra do Paraguai, levara nossas tropas a uma situação aflitiva de baixos soldos, sem verbas para a instrução ou para modernização de seu material bélico.
O Movimento que seria apenas para derrubar o gabinete político, foi habilmente aproveitado pelo Maj Benjamim Constant, professor da Escola Militar que motivara a oficialidade jovem para a proclamação da Republica. Esta porem em nada melhorou a situação militar. Pelo contrario, as eleições viciadas, com voto aberto e de apenas uma pequena minoria, facilitava a perpetuação no poder dos mesmos políticos corruptos e de seus apaniguados.
No inicio da década de vinte, após mais de 30 anos da proclamação da nova forma de governo, já era latente o descontentamento militar com uma situação que pensavam que seria mudada com a Republica. Pensavam os tenentes em mudar o País.
No âmbito internacional, terminara a primeira grande guerra e houvera a revolução russa. Nesta, a revolta da população depôs o Czar. Após isso, uma minoria, os bolcheviques tomam o poder dos mencheviques e impõe uma cruel ditadura. Procuram espalhar para o mundo seu ideário criando o Movimento Comunista Internacional (MCI), onde pregam o fim do patriotismo e adesão à luta para impor o governo comunista no mundo todo. O lema criado por Lenin "Operários do mundo todo, uni-vos", vai repercutir no Brasil. Observem a minoria organizada impondo seu pensamento sobre a maioria.
Neste clima de desprestigio do Exercito aparece um grande patriota que vai iniciar uma cruzada pelo Serviço Militar Obrigatório, foi o poeta Olavo Bilac. O governo procurava denegrir a Instituição, o Pres. do Clube Militar, Mar Hermes da Fonseca, assume uma posição contestatória ao governo. É preso e o Clube fechado por seis meses.
Aí já notamos uma enorme diferença de posicionamento do Clube Militar de hoje para o de antanho.
Os Chefes Militares não reagem com a prisão do velho Marechal. Este é outro problema que precisamos estar atentos, não deixar nossos combatentes desamparados.
Isto foi o estopim para irromper uma revolta no forte Copacabana, na madrugada do dia 05 Jul 22. Este bombardeia o 3º RI, sediado na Praia Vermelha, a mais forte unidade militar da guarnição e o Palácio Duque de Caxias, sede do Ministério da Guerra. O governo determina que a Marinha e as tropas do exército combatam os revoltosos. O Forte é atacado por dois encouraçados e alguns hidroaviões navais.
Após horas de intenso tiroteio e para evitar a destruição total do Forte, os 29 sobreviventes, capitaneados pelo tenente Siqueira Campos, saem para enfrentar as tropas legalistas em campo aberto. Quanta bravura! São todos mortos ou feridos.
Nesta época é criado no país o Partido Comunista que adere a III Internacional Socialista. Esta prega o fim do patriotismo e o luta armada para atingir seus fins.
Em 1923 inicia-se no RS uma revolução para depor o presidente da província, Borges de Medeiros, que já estava a 20 anos no poder. Após combates entre as tropas revoltosas e civis que se alistaram contra a potente Brigada Militar, o governo intervém. A paz é restabelecida. Quero alertar para outro perigo que vivemos hoje, o fortalecimento de polícias federais em detrimento do fortalecimento ao Exercito.


Como a situação militar em nada havia mudado e nem a política corrupta, irrompe nova revolução em 1924, desta vez em SP. Liderada pelo Maj Miguel Costa e Cap Joaquim Tavora eles tem os mesmos ideais dos revoltosos de 22, tanto que a revolução inicia no mesmo dia, 05 Jul. Após três meses de luta renhida contra as tropas legalistas, onde morre o Cap J. Távora, iniciam uma marcha por todo o interior brasileiro. O comandante é ainda o Maj M. Costa e o Chefe de Estado Maior o Cap Luis Carlos Prestes. Depois de três anos e percorrer quatro mil léguas, por 13 estados, sempre perseguida por tropas legalistas, foge para a Bolívia.
Apesar de todos estes movimentos os políticos continuam insensíveis e mantém os mesmos procedimentos viciados.
Na eleição de 01 Mar 30, o candidato situacionista, Julio Prestes, apoiado pelo Presidente Washington Luis, vence o pleito, como sempre ocorria. Assume no dia 15 Nov sem dar ouvidos ao clamor cívico-militar.
A revolta se inicia no RS no dia 03 Out, seguida por levantes em MG, SP, BA e PA que se deslocam para o Rio. Vitoriosa, assume o poder um gaúcho, Getulio Vargas, acabando o circulo vicioso entre MG e SP, a política Café-com-Leite. Observem que após oito anos de revoltas os políticos não queriam abandonar as mamatas a que estavam acostumados, até que foram finalmente expulsos pela força.
É interessante que todos conheçam a história dos dólares de Moscou. Getúlio tentando fortalecer a revolução procura o apoio de Carlos Prestes que morava na Argentina. Manda-lhe em janeiro de 1930 "oitocentos contos de reis (cerca de 80.000 dólares para que se juntasse aos revoltosos. Traiu a Getulio e os ideais da Coluna . Ficou com o dinheiro e o mandou para Moscou, comprando a sua entrada no PC da URSS e ganhando um apto para morar na capital russa. Leiam CAMARADAS de William Waach e também OURO DE MOSCOU de Isidoro Gibert.
Siqueira Campos viajou para Buenos Aires para tentar lembrá-lo dos ideais pelos quais tanto lutaram. Tudo em vão. Siqueira Campos morre num acidente de avião ao retornar para o Brasil. Terrível perda.
O objetivo comum é acabar com a carcomida política da Republica Velha, com leis sociais e o voto secreto. Devido as suas leis em favor dos desassistidos, Getúlio vai ficar conhecido pela alcunha de "Pai dos Pobres". Impõe interventores, quase todos eles ex-tenentes, nos mais diversos estados.
Governando de modo ditatorial sem ter respeitar nenhuma lei, sofre a oposição de SP, onde se desencadeia uma revolução em 1932, mal planejada, sem articulação com os outros estados e puramente defensiva, estava fadada a derrota, embora com lances de heroísmo e bravura de ambos os lados.
Apenas em 1934 Vargas vai outorgar uma nova Constituição.
Quero observar que esta forma de solução dos problemas políticos através de revoluções não se coaduna com a realidade de hoje, onde se deve pugnar no campo das idéias, das comunicações e do psico-social.
È preciso entender que dois verbos usados MUDAR E DESENVOLVER são parecidos, mas de aplicação diversa no campo político. Mudar normalmente é pela força, guilhotina, morte (comunismo 160 milhões de mortos) e Desenvolver é o uso da inteligência, é paulatino e convence.
No âmbito internacional o mundo estava dividido entre duas ideologias totalitárias, ambas defensoras de um estado forte. De um lado o nazismo e do outro o comunismo.
As repercussões no Brasil foram a criação do Partido Comunista em 1922 e o movimento Integralista em 1932. O primeiro buscava conquistar a classe operaria e os praças, o segundo a classe media. Os comunistas eram liderados por Prestes desde 1930 e os integralistas por Plínio Salgado que tinha como lema "Deus, Pátria e Família". O primeiro erainternacionalista e o segundo nacionalista.
Deste choque de posições e sentindo perder apoio popular, o Partido Comunista, cumprindo ordens do Movimento Comunista Internacional, resolve desencadear um movimento armado para tomada do poder.

A INTENTONA COMUNISTA


Baseado na experiência russa, os comunistas acreditavam que poderiam dividir o Exército entre tenentes/praças e oficiais e que aqueles poderiam tomar o comando e dominar os quartéis. Assim, em 23 Nov 35, aproveitando-se do meio expediente, alguns sargentos do 21º BC, sediado em Natal, apoiados pela guarda, invadem o quartel, prendem o oficial de dia e roubam o armamento e munição. Distribuídas estas armas entre cabos, soldados e civis,iniciam o combate contra o quartel de policia, onde estavam os oficiais, que derrotados, são presos e inicia-se o primeiro e único governo comunista no Brasil. Saques, assassinatos, estupros e baderna generalizada são a tônica destes primeiros dias. Os revoltosos saem em três colunas para conquistar o restante do estado. A reação veio do Seridó, capitaneada por Dinarte Mariz, que embosca os revoltosos com seus jagunços bem treinados e os derrota. Três dias após o inicio, tinha terminado o Governo Comunista.


Aqui temos dois ensinamentos. O primeiro deles, os oficiais não conheciam seus praças, o que pensavam, quem eram e em que acreditavam. O segundo é que a reação só foi possível porque não havia uma lei de desarmamento que impedisse que cidadãos de bem portassem armas.
Enquanto isto acontecia em Natal, no dia 24 Nov, eclodia a revolta em Recife no 29º BC. Esta liderada por dois tenentes, com apoio dos praças, tenta tomar o quartel, mas encontra feroz oposição dos oficiais refugiados no Pavilhão de Comando. Enquanto uma parte fica neste combate, os demais partem para a conquista da cidade.
Neste meio tempo o 22º BC, de Maceió, e uma Bia da Paraíba, chegam a Recife para dar combate aos revoltosos que se espraiavam pela cidade. Os canhões da artilharia, atirando em alça zero, dizimam os revoltosos e contabiliza ao final do movimento mais de setecentos mortos, entre civis e militares. Foi o mais sangrentos dos episódios com mais de setecentos mortos.




intentona no Rio só veio começar no dia 27 Nov, no 3º RI, sediado na Praia Vermelha. Com um efetivo de quase dois mil militares, foram liderados pelo Cap Agildo Barata, que cumpria prisão no aquartelamento.
Deve-se ressaltar que desde o dia 23, o quartel estava em prontidão rigorosa, com todo seu pessoal aquartelado e armado. Volto a frisar a importância de se conhecer seus subordinados. Havia um distanciamento incrível entre a oficialidade e os praças (será que existe ainda hoje?) e um desconhecimento das ideias de cada militar.
Vocês têm conversado com seus subordinados? sabem das necessidades de cada um?, Quem é casado, separado, quantos filhos? Saber disso é ser líder.
Os revoltosos dominam e lideram varias companhias, pois mataram seus comandantes enquanto dormiam, abolindo a palavra mais cara o dicionário militar, CAMARADAGEM. As Cia Mtr do 1º e do 2º Batalhão mantém-se fiéis aos seus comandantes, estes sim eram verdadeiros chefes.
A batalha dentro do Regimento permite a chegada das tropas da Região apoiadas pelo 1º Grupo de Obuses. Repete-se o que ocorreu em Natal, realizando o tiro direto, vai metodicamente destruindo todos os abrigos, o que leva a rendição dos amotinados.
Na Vila Militar a sublevação ocorreu na Escola de Aviação do Exercito, no Campo dos Afonsos, mas foram dominados pelo TC Eduardo Gomes, comandante do 1º Regimento de Aviação, reforçado pelo 2º Regimento de Cavalaria, Regimento Andrade Neves.
Assim terminava esta nódoa na historia do EB, onde irmãos de arma assassinaram companheiros que dormiam a seu lado e provocaram a luta e a discórdia, abolindo a palavra camaradagem.
Este fato, no entanto, alertou os lideres políticos e militares para as mudanças que deviam ser efetuadas.
Por outro lado, os comunistas procuraram tirar ensinamento de seus erros para nova tentativa de tomada de poder. Viram que sem o apoio do poder político nada conseguiriam e assim voltam a tentar por outro via. Desta feita o governo lhes cai nas mãos em 1961 com a renuncia de Janio Quadros e a posse de João Goulart na presidência, enquanto tinha Leonel Brizola no governo do RS e Miguel Arraes em PE, mas isto é outra história.

CONCLUSÃO
   
A primeira coisa a se ressaltar é o conhecer seus liderados.
Vejam que desde a Proclamação da Republica este erro se repete. O Mar Deodoro da Fonseca é envolvido pelo Maj Benjamin Constant e o que era para ser a derrubada de um gabinete, transforma-se na Republica que não resolveu os problemas aflitivos que viviam os militares e a sociedade brasileira
As revoltas tenentistas ocorreram porque os chefes não sabiam o que se passava na tropa e a Intentona Comunista ressalta este descaso dentro dos próprios quartéis, onde os tenentes não conheciam seus sargentos e os oficiais mais antigos não conheciam os mais modernos.
Conheçam seus subordinados, o que pensam,conheçam suas famílias, seus problemas financeiros, sociais e sentimentais. Saibam o que fazem e o que pensam fora das paredes do quartel. Sejamos UNIDOS.
Outro problema que salta aos olhos é o fosso entre oficiais e praças. Este fato só se agravou. Nas revoltas tenentistas, os praças iam com seus chefes imediatos. Na Intentona Comunista, os praças lideraram algumas revoltas contra os oficiais. Hoje, com está? Os praças são nossos irmãos? Conversamos com eles, fazemos churrascos juntos, temos o mesmo clube, almoçamos no mesmo lugar? É preciso ter sempre em mente a LEALDADE. A traição SÓ EXISTE QUANDO DEIXA DE HAVER CONFIANÇA MÚTUA. LEMBREM-SE: VESTIMOS A MESMA FARDA E AMAMOS O MESMO BRASIL. Finalmente o ultimo grande ensinamento é sobre a conjuntura internacional.
Esta já afetava o Brasil quando as comunicações eram precárias e difíceis. Agora isto ocorre com muito mais rapidez. A luta entre nazismo e comunismo foi substituída pela entre Capitalismo e Comunismo, agora é entre a democracia e o populismo.
Este já dominou vários países sul-americanos.
Que estamos fazendo para nos opor ao populismo desagregador, incentivador do racismo, da luta de classes e da desordem, de modo que eles não venham a se perpetuar no governo brasileiro?
Concluindo poderíamos lembrar a DIRETRIZ do General Castelo Branco, talvez o maior estadista brasileiro. "MANTER A TODO CUSTO A CADEIA DE COMANDO. SEM HIERARQUIA, SEM DISCIPLINA ESTAMOS CAVANDO A NOSSA SEPULTURA. TODOS OS CHEFES DE HOJE SÃO FORMADOS NA MESMA ESCOLA QUE CURSAMOS ONTEM".
HONRA AOS QUE TOMBARAM EM 35.
HONRA AOS COMPANHEIROS que venceram a guerra suja iniciada pelos comunistas com o atentado terrorista no aeroporto dos Guararapes.
Honra aos companheiros DE HOJE QUE LUTAM PELA DEMOCRACIA – PELA VERDADE E MOSTRAM AOS SUBORDINADOS O CAMINHO DO DEVER
 Lembre-se sempre:
"Embora ninguém possa voltar atrás e  fazer um novo começo, qualquer um pode  começar agora e fazer um novo fim".
Esta é uma comunicação oficial do Instituto Endireita Brasil. Reenvie imediatamente esta mensagem para toda a sua lista, o Brasil agradece.
Receba nossas mensagens enviando um email para: emdireitabrasil-subscribe@yahoogrupos.com.br e entrando para o nosso grupo.
Siga-nos no Twitter: @emdireitabrasil

A verdade que a mídia não mostra
      

terça-feira, 27 de novembro de 2018

Cerquinha mixuruca?


Parece mágica. Você joga um punhadinho de nióbio, apenas 100 gramas no meio de uma tonelada de aço e a liga se torna muito mais forte e maleável. Carros, pontes, turbinas de avião, aparelhos de ressonância magnética, mísseis, marcapassos, usinas nucleares, sensores de sondas espaciais..... Praticamente tudo o que é eletrônico fica melhor com um pouco de nióbio.


Essa cerquinha mixuruca é feita de nióbio.


Os foguetes da empresa americana SpaceX, os mais avançados do mundo, levam nióbio. O LHC, maior acelerador de partículas do planeta e o S-Wave, primeiro computador quântico também.
Todo mundo quer nióbio e quase todas as reservas mundiais desse metal, 98,2% estão no Brasil. Nós temos o equivalente a 842 milhões de toneladas de nióbio que valem inacreditáveis US$ 22 trilhões, o dobro do PIB da China ou duas vezes todo o petróleo do pré-sal. Por esta razão muita gente diz que o nióbio pode ser a salvação do Brasil, a chave para o país se desenvolver e virar uma potencia mundial.

domingo, 25 de novembro de 2018

Narrativa do PT sobre mais médicos cubanos desmentida.

Mais de 11 mil médicos brasileiros se inscrevem no programa Mais Médicos e desmentem narrativa do PT.


Toda narrativa criada pelo PT de que faltavam médicos brasileiros foi desmentida. Há muitos médicos brasileiros dispostos a trabalhar no Mais Médicos. Para substituir os 8.000 cubanos, mais de 11.000 médicos já inscreveram. Ainda há milhares de médicos brasileiros formados no exterior aguardando a Revalidação.
O Ministério da Saúde informa que no segundo dia de inscrições (até às 17h), o número já chegou a 11.429 inscritos com CRM Brasil. Desse total, 5.212 foram efetivadas e 3.648 profissionais selecionaram o município de atuação. O edital foi publicado no Diário Oficial da União da última terça-feira (20/11). São ofertadas 8.517 vagas para atuação em 2.824 municípios e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI), que antes eram ocupadas por médicos da cooperação com Cuba. Os profissionais podem se inscrever por meio do site maismedicos.gov.br.

Sobre a instabilidade do site, o Departamento de Informática do SUS (DATASUS) está trabalhando para aprimorar o sistema de inscrições. O setor já identificou a maior parcela dos robôs e máquinas programadas que estão promovendo os ataques à página do Mais Médicos. Ainda nesta quinta-feira (22/11), a equipe de segurança do sistema atuou isolando e protegendo a rede desses ataques.

ÁGUAS TURVAS


A ideologia cega, aliena, turva as mentes até mesmo de gente, supostamente, culta e inteligente, e é aí que irão surfar os mal-intencionados, hipócritas e pregadores de um regime que já não mais se sustenta.
É trabalho semi escravo, sim!
É imoral repassar o produto do trabalho individual a um regime que além do mais lhes subtrai as sagradas liberdades de ir e vir e de manifestar a livre opinião.
É desumano também em relação às suas famílias, mantidas como autênticas reféns em Cuba, impedidas de acompanhar seus chefes.
É absurdo, por outro lado, não termos o direito de avaliar a capacidade desses médicos(?).

Ficou clara a intenção do governo petista, depois de 10 anos no poder sem dar atenção à saúde, de usá-la como argumento para seguir financiando uma das mais sangrentas ditaduras que ainda subsistem no planeta em pleno século XXI.
Se não tivermos competência para colocar um médico brasileiro em cada um de nossos municípios é melhor apagar as luzes e fechar para balanço.
Acordem amigos, nosso País tem valores e potenciais que não podem ser postos de lado.
Depender do criminoso regime cubano? Humilhação suprema.

Gen Div Gilberto Rodrigues Pimentel

sábado, 24 de novembro de 2018

A bilionária Bolsa-Terrorismo paga pelo Brasil



Os terroristas não sabiam, mas estavam investindo em seu patrimônio. Ou da família. Até gente que nunca atirou uma pedra com estilingue e não correu risco de levar pito nem do síndico recebeu indenizações milionárias como "vítima da ditadura". Lula é um pensionista, imaginem... Frei Chico, seu irmão, aquele que se identifica como “Roberto” (ou seria algum “Roberto” se fazendo passar por Frei Chico?) tem direito a R$ 3.760 por mês e indenização de R$ 461 mil. Ficou 16 dias preso. Nunca encostaram a mão em um fio de sua barba — nem na de Lula, que nunca deixou de receber salário do sindicato ou do PT. Ainda há quase 30 mil pedidos de pensão sendo analisados. O programa Bolsa-Terrorismo já soma quase R$ 2,3 bilhões em indenizações e custa R$ 28 milhões por mês em pensões. É um esculacho, uma piada grotesca. 


Texto completo 

É uma estupidez até aritmética. Com muita boa vontade, morreram 424 pessoas em razão de causas políticas ou delas decorrentes, incluindo os terroristas, em combate, de arma na mão. Nem na Argentina, onde os mortos foram 30 mil, apareceram 60 mil pessoas cobrando reparações. No Brasil, sim. Já foram concedidos 16 mil benefícios, e outros 13 mil, rejeitados. E falta analisar as outras 30 mil. Apanhei da Polícia durante a ditadura e fui perseguido por um idiota do Deops quando secundarista. É verdade. Tenho testemunhas. Qualquer hora, vou tentar saber se existe registro desse negócio. Vou pedir a minha grana. Eu tinha 15 anos e fiquei muuuiiito traumatizado. Resultado: virei anticomunista, o que só pode ser uma doença, certo? Algo como uma Síndrome de Estocolmo, sei lá. Quero a minha parte. E vocês vão pagar. Torrarei tudo em Gold Label. 

O caso Carlos Lamarca, acho eu, passou da conta. É mais escandaloso do que a indenização milionária e pensão nababesca de Carlos Heitor Cony, que foi muito perseguido pela ditadura em sua sala revestida de mármore rosa na antiga Manchete... Lamarca desertou do Exército em 1969 para integrar uma facção terrorista. Ele abriu mão de ser um militar. Morreu em 1971. Mas, antes, matou muita gente. Mesmo assim, a Justiça Federal já havia concedido pensão à viúva em 1993, correspondente a R$ 9.963,98, o valor pago a um coronel do Exército. Ele morreu como capitão, mas a pensão é sempre paga segundo o valor da patente imediatamente superior. Ontem, a comissão do Ministério da Justiça que cuida do caso resolveu “promovê-lo” a coronel — e o valor pago à viúva passou a ser o de soldo de general: R$ 12.152,61. Promoção por quê? Por relevantes serviços prestados à nação? Por ter tentado implantar no Brasil um regime que, em caso de sucesso, não teria matado menos de alguns milhões? Ah sim: a diferença é retroativa a 1988!!! 

Só isso? Não, senhor! A mulher e os dois filhos receberão, cada um, R$ 100 mil a título de indenização. Se Larmarca tivesse sido premiado por cadáver que fez, certamente teria rendido menos. Pelo visto, também estão pagando por aqueles que ele faria se tivesse logrado êxito em sua empreitada. Acho que chegou a hora de se fazer, com efeito, uma grande reportagem sobre esses heróis. Sobretudo, é preciso saber qual era a utopia pela qual lutavam — e que hoje nos custa tão caro. 

PS: Só para registro. Defendo que se pague indenização para quem, preso pelo Estado, morreu em razão de tortura. Aí, sim. Todo o resto, incluindo a decisão de morrer com uma arma na mão, é uma questão de escolha. O Brasil não deve nada a esses caras, incluindo a democracia, que eles tanto detestavam. 



sexta-feira, 23 de novembro de 2018

O atentado e a baioneta.

Como de costume, a grande mídia divulga o que não dá para esconder, amplifica o que de seu interesse e oculta ou o que lhe joga contra seus anseios ou lhe dá muito medo.
É o caso da nomeação de um general para seu assessor especial, pelo atual presidente do STF, Toffoli, alçado ao poder no STF não pela competência jurídica, muitíssimo ao contrário, até porque não a tem, mas pela imposição política dos padrinhos, hoje criminosos e condenados, Dirceu e Lula, pústulas maiores da 6ª República.
De se dizer também que assim foi com o boquirroto laxante babão Gilmar Mendes (FFHHCC); o empolado boca-mole Marco Aurélio Mello (nomeado pelo primo, o impedido Fernando Collor de Mello); e o comedor de frango no Demarchi de São Bernardo do Campo, com Luladrão a tiracolo, Ricardo Lewandowski, o amigão puxa-saco de petistas, a completar a tétrade nefasta e menor do STF.
Como todo comunista é rato, e ratos, como se sabe, são os primeiros a abandonarem o barco quando afunda, Toffoli alçou como “assessor especial” dele, na presidência, ao general 4 estrelas, na reserva, ex-comandante do Estado Maior das Forças Armadas, Fernando Azevedo e Silva.
Não há na história da 6ª República, nem mesmo da 5ª República, relativa ao período militar, ou que me lembre, desde os I e II Impérios, registro de um general de altíssimo escalão vir a assessorar o presidente do mais alto tribunal do país, a “convite” dele...

Ocorre que tenho lá minhas fontes, civis e militares, das quais não faço nomes e nem cito, até porque não há como certificar-se de sua veracidade, nem pela grande mídia, que sabe bem o quanto a seguir relato, nem por fontes independentes, da web, confiáveis.
Contudo, uma fonte e uma versão do porquê, vinda do meio militar, me parece digna de crédito, até mesmo porque lógica, encaixada nos fatos e que, por isso, passo a narrar.
Toffoli, ao tentar explicar, como de seu estilo, a nomeação do general para assessorá-lo, disse à imprensa que “a escolha se deu por habilidades e competências (do general), atendendo a critérios objetivos”, vagueando a resposta para não se comprometer. Ato contínuo, e recentemente, definiu o 31 de março de 1964 como um “movimento”, evitando as palavras “revolução” e “golpe”. Convenhamos que para um petista poderoso, agora de canequinha na mão, Toffoli mudou de bica...
O fato, ao que se diz, verdadeiro, é que na noite de 06 de setembro de 2018, dia do atentado político contra a vida de Bolsonaro, em Juiz de Fora, ocorreu uma reunião de urgência do Alto Comando das Forças Armadas, fato este noticiado pela imprensa, para a seguir, esvair-se o tema na mata cerrada noturna do silêncio sepulcral, tratando a imprensa de não cutucar a toca para não perturbar a onça.
A reunião foi presidida, como óbvio, pelo general 4 estrelas Eduardo Villas Boas, portando ele moléstia progressivamente paralisante que, de certo, lhe ceifará a vida, porque não tem cura, sabendo disso o general, todos os demais oficiais, de alta, média e baixa patente, e toda a tropa.
Apuradas todas as opiniões e vontades do oficialato, Villa Boas, com dificuldades notórias até para falar, naquela noite, altas horas, buscou aplacar os ânimos, porque já tinha oficial graduado pronto para pôr a tropa na rua em direção à Brasília.
O oficialato, especialmente um, da ativa, declarou em alto e bom som, para quem quisesse e não quisesse ouvir, que não haviam mais poderes republicanos, que o Executivo e o Legislativo federais haviam perdido toda e qualquer legitimidade para governarem o país, transmudado em baderna, em caos, em frangalhos, e que permanecia intransigente na posição de aniquilar a 6ª República, colocando-a ao chão, tomando Brasília, pelas armas, antes fosse tarde demais, até porque havia o risco do STF, aparelhado pelo PMDB (MDB), PT e PSDB, libertar ao Lula e demais réus da Lava-Jato, colocando-os na rua para fazerem campanha, acuando assim, mais ainda, a candidatura de Bolsonaro, sobrevivesse ele, ou não, ao atentado, até porque a soltura de Lula chamaria todas as atenções para o fato, desviando-se a atenção pública do tentado assassinato de Bolsonaro, àquela altura, lutando para sobreviver.
Passava das altas horas quando a solução provisória foi sugerida por um pequeno colegiado de militares moderados:
Colocar um general da reserva, porque se fosse da ativa, ofenderia e o clamor seria muito maior, que conhecesse a tropa e o oficialato, e fosse calmo, convincente, culto, político e cerebrino, no seio do STF, recaindo a escolha sobre Fernando Azevedo e Silva.
Votada a indicação, vencedora a tese de Villas Boas, de moderação e de se aguardar os acontecimentos, insinuando-se assim, no único poder que sobrou, de fato, o STF, um par, um interlocutor válido, possibilitando, com ressalvas dos contrários, a continuidade do processo eleitoral, indicando-se para a missão Azevedo e Silva, pois que este já havia ocupado cargos de ajudante de ordens de Fernando Collor de Mello e assessoria parlamentar, fazendo então a interlocução entre a Câmara dos Deputados e o Senado Federal, junto ao Poder Executivo Federal, justificando-se a indicação pelas “habilidades e competências” do general, depois alardeadas por Toffoli junto à imprensa, quando indagado a respeito.
Dia seguinte, Villas Boas agendou com Toffoli um almoço. Entre uma taça de vinho tinto europeu sorvida por Toffoli e um copo de água mineral de Lindóia sorvido por Villas Boas, veladamente sussurrou-se a Toffoli de todo o descontentamento e intranquilidade das tropas, muito agitadas nos quartéis, e que, para acalmar os ânimos, “aceitasse” ele a indicação de um “assessor especial”, sem qualificação jurídica alguma, exatamente Azevedo e Silva, ao seu lado.
A missão de Azevedo e Silva não seria aconselhar a Toffoli sobre o que fazer na presidência do STF, mas sim, e sobretudo, o que NÃO FAZER, evitando-se assim o tão somente sugerido precipício, da tomada iminente do poder pelos militares, dados o caos e o atentado.
Toffoli sentiu a rédea curta e o bafo do cavaleiro em sua crina, e fazendo aquela pose de ser superior, sem titubear, e sentindo a bunda gelada pela possível tomada da poltrona, sorriu e de bom grado, “aceitou”...
Por esta razão, a 2ª Turma do STF anda na miúda. Por isso, o dissidente comprometido Lewandowski tentou permitir a entrevista do “padrino” Lula à ‘Folha de São Paulo’ por Mônica Bergamo, e para o jornalista petista engajado Florestan Fernandes Júnior, da TV Brasil, tendo sido contrariado de imediato por Fux e por Toffoli, arriando assim a pretensão espúria de influenciar, mais uma vez, não bastasse o atentado, o processo eleitoral, enquanto saia esbravejando, espumando, vermelho de raiva, ameaçando levar ao público o “desvio de função do STF”...
A imprensa tem dourado a pílula, a poder engoli-la junto ao público, afirmando que a indicação inseriu uma espécie de “poder moderador” (Cristiana Lobo – Globo News) no rachado STF. Nada disso. O poder é interventor, mesmo.
Como dizia meu nonno Emendabili:
- Manda quem pode, obedece quem tem juízo...
Paulo Emendabili Souza Barros De Carvalhosa – 04/10/2018

quinta-feira, 22 de novembro de 2018

AMI ISRAEL CHAI (o povo de israel vive)


Apenas 70 anos atrás os judeus foram levados para o matadouro como ovelhas.

Há 60 anos não tínhamos país ou exército.

Apenas algumas horas após a sua criação, sete países árabes declararam guerra ao nosso pequeno Estado judeu.

Nós éramos apenas 650 judeus contra o resto do mundo árabe, sem nenhuma força de defesa.

Nenhuma força aérea poderosa, apenas pessoas corajosas.

Líbano, Síria, Iraque, Jordânia, Egito, Líbia, Arábia Saudita, todos nos atacaram ao mesmo tempo.

O país que as Nações Unidas nos deram foi 65% deserto. O país não era nada!

35 anos atrás nós lutamos contra os três exércitos mais poderosos do Oriente Médio, e nós os varremos, sim ... em seis dias.

Lutamos contra várias coalizões de países árabes, que tinham exércitos modernos e muitas armas soviéticas, e sempre os derrotamos!

Hoje nós temos:
*Um país
*Um exército
*Uma poderosa força aérea
* Um Estado cuja economia exporta milhões de dólares
* Intel - Microsoft - A IBM desenvolve produtos para todos.
* Nossos médicos recebem prêmios por pesquisa médica.
* Temos inúmeros prêmios Nobel em todas as áreas.

Nós fizemos o deserto florescer, vendemos laranjas, flores e legumes para todos.
Israel enviou seus próprios satélites para o espaço! Três satélites ao mesmo tempo!

Estamos orgulhosos de estar no mesmo nível que os Estados Unidos, que tem 250 milhões de habitantes.
Rússia, que tem 200 milhões de habitantes, a China tem 1.300 milhões de habitantes.
Europa (França, Grã-Bretanha, Alemanha), com 350 milhões de habitantes.
Estes são os únicos países do mundo que enviam objetos para o espaço! Israel agora faz parte da família de potências nucleares, com os Estados Unidos, Rússia, China, Índia, França e Grã-Bretanha.

Nós nunca admitimos isso oficialmente (mas todos sabem disso): apenas 60 anos atrás, eles nos pegaram, envergonhados e desesperados para nos sacrificar!

Tivemos recentemente a opressão sobre a Europa e vencemos nossas guerras aqui com menos do que nada. Nós construímos nosso pequeno "Império" do nada.

Quem é o Hamas que quer nos assustar, nos intimidar? Eles nos fazem  rir!

A Páscoa foi celebrada; não vamos esquecer o que isto significa:

Nós sobrevivemos ao Faraó.
Nós sobrevivemos aos gregos.
Nós sobrevivemos aos romanos.
Nós sobrevivemos à inquisição da Espanha e dos massacres na Rússia.
Nós sobrevivemos a Hitler.
Nós sobrevivemos aos alemães.
Nós sobrevivemos ao Holocausto.
Nós sobrevivemos aos exércitos de sete países árabes.
Nós sobrevivemos a Saddam.
Continuaremos a sobreviver também aos inimigos de hoje.

Pense em qualquer outro momento da história da humanidade! Pense nisso: para nós, o povo judeu, a situação nunca foi melhor! Nós vamos enfrentar o mundo.

Lembre-se: todas as nações ou culturas que uma vez tentaram nos destruir, hoje não existem mais e nós ainda vivemos!

Egito?
Os gregos?
Alexandre da Macedônia?
Os romanos? Alguém fala latim hoje em dia?
E o terceiro reich?

E olhem para nós:
A nação da Bíblia
os escravos do Egito,
Nós ainda estamos aqui.

E nós falamos a mesma língua! Antes e agora! Os árabes ainda não sabem disso, mas aprenderão que existe um Deus! ... enquanto mantivermos nossa identidade, nós seremos para sempre!

Então pedimos desculpas por não nos preocuparmos.
Por não chorarmos.
Por não termos medo
As coisas estão bem por aqui.
Elas certamente poderiam ser melhores.

No entanto: não acredite na mídia, porque eles não dizem que as festas ainda estão acontecendo, as pessoas ainda estão vivendo, as pessoas ainda estão saindo, as pessoas estão saindo para ver seus amigos.

Sim, nossa moral é baixa. Por quê? Só porque lamentamos nossos mortos, enquanto outros se regozijam no sangue derramado. É por isso que vamos vencer no final.

Ele nunca dorme  e nunca dormirá ... o guardião de Israel ... HaShem, Deus de Abraão, Isaque e Jacó.

Encaminhe este discurso para toda a comunidade e para as pessoas em todo o mundo. Eles são parte da nossa força.

Compartilhe com todos os seus amigos para reiterar essa verdade de que Deus cuida e sempre cuidará de Israel.