domingo, 25 de novembro de 2018

ÁGUAS TURVAS


A ideologia cega, aliena, turva as mentes até mesmo de gente, supostamente, culta e inteligente, e é aí que irão surfar os mal-intencionados, hipócritas e pregadores de um regime que já não mais se sustenta.
É trabalho semi escravo, sim!
É imoral repassar o produto do trabalho individual a um regime que além do mais lhes subtrai as sagradas liberdades de ir e vir e de manifestar a livre opinião.
É desumano também em relação às suas famílias, mantidas como autênticas reféns em Cuba, impedidas de acompanhar seus chefes.
É absurdo, por outro lado, não termos o direito de avaliar a capacidade desses médicos(?).

Ficou clara a intenção do governo petista, depois de 10 anos no poder sem dar atenção à saúde, de usá-la como argumento para seguir financiando uma das mais sangrentas ditaduras que ainda subsistem no planeta em pleno século XXI.
Se não tivermos competência para colocar um médico brasileiro em cada um de nossos municípios é melhor apagar as luzes e fechar para balanço.
Acordem amigos, nosso País tem valores e potenciais que não podem ser postos de lado.
Depender do criminoso regime cubano? Humilhação suprema.

Gen Div Gilberto Rodrigues Pimentel

Um comentário:

  1. Petistas escondem que Chinaglia tentou proibir novos cursos de medicina por 10 anos.Petistas estão fazendo o típico showzinho de falsa empatia ao dizer que se preocupam com os brasileiros que “vão ficar sem atendimento” sem os médicos cubanos.

    Será mesmo que eles acreditam no que estão falando?

    Pois então veja mais sobre este projeto de lei aprovado em 2007 na CCJ e apresentado pelo deputado federal petista Arlindo Chinaglia:

    A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) aprovou nesta quarta-feira o Projeto de Lei 65/03, do deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), que proíbe, pelo prazo de dez anos, a criação de cursos de Medicina no Brasil e a ampliação de vagas nos cursos existentes.

    A matéria, que tramita em regime de urgência, já havia sido aprovada por meio de substitutivo nas comissões de Seguridade Social e Família; e de Educação e Cultura, mas ainda depende de aprovação do Plenário.

    Epa, epa…

    E tem mais:

    A CCJ acatou substitutivo do relator Colbert Martins (PMDB-BA), que cortou do texto original determinações dirigidas ao Poder Executivo, como a obrigatoriedade de regulamentar em 120 dias a validação no Brasil de cursos de Medicina concluídos no exterior. Martins entendeu que essas determinações são contrárias ao princípio constitucional da separação dos Três Poderes.

    Em seu parecer, Colbert Martins aprovou ainda o substitutivo da Comissão de Seguridade Social e Família, que suspende a autorização e o reconhecimento do curso de Medicina e outros na área da saúde, até que esses procedimentos sejam regulamentados pelo Conselho Nacional de Educação (CNE) e pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS) e seus congêneres nos estados e no Distrito Federal.

    https://ceticismopolitico.com/2018/11/16/petistas-escondem-que-chinaglia-tentou-proibir-novos-cursos-de-medicina-por-10-anos/

    ResponderExcluir