segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

A PMERJ de Parabéns!


Lá se vão dez anos nas ruas em manifestações, do que me orgulho muito em ter participado.

Hoje vejo os louros destas insistentes manifestações, a jornada foi vitoriosa. Vitoriosa em diversos sentidos, principalmente na política; política que sempre insisti em ser uma ARTE, uma CIÊNCIA, uma GENIALIDADE que pode ser usada tanto para o bem quanto para o mal. Mas o BEM venceu!

A PMERJ sempre ignorou a política como causa de suas desgraças, mas hoje a temos como uma Instituição que, se não totalmente comprometida com seu futuro, já mostra evidentes sinais que se voltará a este fim.

Foram vários eleitos em diversas esferas do Legislativo, no Federal, Estadual e Municipal; lógico que não só exclusivamente com votos da PMERJ, que tem um grande potencial, mas, não conseguiu ainda se organizar neste sentido. O tempo ensina, e o tempo vai ensinar.

Não poderei estar em Brasília na posse Presidencial, mas estarei no Rio de Janeiro na posse do Major Elitusalem Freitas. Apesar de haverem tantos outros eleitos na Câmara Federal e na ALERJ, a posse do Major Freitas para mim tem um significado especial; o significado de quem colocou uma carreira em risco, o significado de ser atacado dentro da Corporação quando defendeu valores inegociáveis e apontou os bandidos.


Nenhum ousou tanto quanto ele, nenhum pagou tão caro por tamanha afronta à política de marginais, nenhum jogou contra os interesse políticos que impregnou como um ranço a PMERJ.

Pagou caro por isso, foram três CJs (Conselho de Justificação, que pode condenar o oficial a perda de sua patente), bem como sua carreira na PMERJ ser encerrada precocemente. Mesmo que seja absolvido nos CJs, não galgará o último posto se não por força regimental nem assumirá um comando. Afinal, o ranço político impregnado na PMERJ é covarde e vingativo. Seu destino estava traçado! Um lugar na política, hoje Vereador no Município do Rio de Janeiro e Primeiro Suplente a Deputado Estadual (ALERJ). MAKTUB! ("estava escrito", "tinha que acontecer")

Um comentário: