sábado, 12 de janeiro de 2019

Lembrando nossos Heróis, e também os vilões.

Monumento Bombeiro Herói, criado pelo artista João Batista Felga de Moraes.

11 de janeiro de 2019, fazem oito anos da maior catástrofe natural do Brasil, atingindo toda a Região Serrana do estado do Rio de Janeiro. Nossa maravilhosa Cidade Nova Friburgo e outras cidades vizinhas não escaparam de tamanha fúria da natureza.

Uma data marcante, a data em que tivemos em nossa Cidade muitas perdas. Perdas materiais nós reconstruímos, mas, a perda de amigos e familiares, aquela onde cada queda de terra produziu uma cicatriz.
Pena que nós, seres humanos, deixamos muito a desejar. Com tanto que nos aconteceu ainda vemos o orgulho e a hipocrisia tomar conta de muitas pessoas, jamais vou esquecer o que vi e presenciei.

Aqui deixo meus sentimentos a todas as famílias friburguenses e de outros municípios atingidos; também deixo meus sentimentos às famílias daqueles três heróis de fardas, aqueles que deram suas vidas salvando outras. 

Parabenizo todo o Grupamento do Corpo de Bombeiros, tenho certeza que vocês, amigos da Corporação, e principalmente familiares desses três guerreiros, tem orgulho em saber a importância de serem lembrados numa data tão triste e marcante.

Rodrigo Veloso

Morreram, no total, 918 pessoas. Nova Friburgo foi o município mais afetado, com 429 óbitos. Em seguida, estão os municípios de Teresópolis, com 392, e Petrópolis, com 71, e os demais óbitos em municípios vizinhos na região.


Denúncias indicam desvio de verbas destinadas à Região Serrana do Rio.

Segundo investigações, após a maior tragédia natural do país, autoridades de algumas cidades atingidas teriam desviado parte dos R$ 30 milhões destinados pelo Governo Federal à reconstrução de sete municípios. (G1)


Nenhum comentário:

Postar um comentário