terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

A esquerda volta a "bostejar".

O Ministro da Educação, Ricardo Vélez, orientou as escolas para que houvesse a execução do Hino Nacional, mas pecou quando também orientou slogan do governo.

É lógico que a esquerda decadente aproveitou a oportunidade para cair em cima com tudo, mas, só tem certa razão quanto ao uso do slogan do governo Bolsonaro, já que os Símbolos Nacionais são protegidos pela Constituição Federal (A Constituição Brasileira, no seu artigo 13, § 1º, estabelece como que seja garantido o devido respeito aos Símbolos Nacionais).

Marcelo Freixo, que estava sem motivação para abrir sua latrina, aproveitou o "gancho" para mais uma vez "bostejar" suas palavras em desuso.

Verifica-se que no espaço de tempo em que a esquerda esteve no (des) comando do País, os símbolos Nacionais foram sendo aos poucos abolidos nas escolas até que hoje, estão completamente esquecidos.

O pretexto de propaganda do governo serviu para que militantes usassem a Lei Escola Sem Partido para contra atacar. Se a orientação fosse só no tocante aos Símbolos Nacionais, não teriam base legal e, se o fizessem e é claro que fariam, seria rechaçados como sempre são.

Em sua humildade o Ministro da Educação retirou a orientação sobre o slogan do governo, mas a cultura dos Símbolos Nacionais permanecem.

O que realmente desperta ódio nessa militância é o governo Bolsonaro, já que os "sem terrinha" são doutrinados desde cedo, na tenra idade, a idolatrar assassinos e terroristas que são as referências desta esquerda maldita.


SEM TERRINHA: Como o MST usa crianças como massa de manobra política e ideológica.

Usaram a imagem de crianças perfiladas cantando o Hino Nacional como referência a uma ditadura que nunca existiu, que estariam na verdade representando os militares deste novo governo. Até uma critica a Comissão que censura "gênero" foi usada para atacar o inatacável.


É completamente absurdo, uma solicitação dessa do governo Bolsonaro, o mesmo que defende a aprovação da reacionária Lei Escola Sem Partido onde o intuito é a perseguição de professores dentro das escolas, e que também quer proibir e atacar a discussão de gênero nas escolas, onde inclusive já foi montada uma comissão para censurar questões de gênero que for cair no Enem. Além disso, é um modo de mostra o aceno que o governo bolsonarista tem ao militarismo da Ditadura Militar querendo que crianças sejam filmadas perfiladas ao cantar o Hino Nacional, uma clara referência militar que desejam propagar, nesse mesmo governo que tem a maior proporção de militares constituindo-o desde o fim da Ditadura. - esquerda diário

Mas, sinceramente, o que você acha dessas criancinhas cantando o Hino Nacional? Não te remete a seus tempos de infância? Eu adorei!





Nenhum comentário:

Postar um comentário