segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

A farsa da fuga de Jean Wyllys.

A esquerda ardilosa tramou um plano para se esquivar da Justiça na investigação da tentativa de homicídio do então candidato Jair Bolsonaro, que tem como principais suspeitos de participação justamente esse "senhor".

Lembrem-se que o Adélio esteve no gabinete dele na Câmara dos Deputados antes do ataque a Bolsonaro.

Claro que os outros companheiros envolvidos na trama, e não são poucos, o ameaçaram caso abra o bico e delate. Eis então a origem das ameaças de morte que diz estar sofrendo, vem dos próprios comparsas!

Mas como ele não pode dizer isso ao público, deixa no ar a insinuação sórdida de que estaria sendo ameaçado por opositores políticos ou pelo atual governo.

Com isso tenta colar imagem de uma espécie de ditadura velada ao atual governo, que persegue, ameaça e executa seus opositores. Agora a cereja do bolo é tentar de maneira mais vil, ignóbil e abjeta possível incluir na trama da morte da vereadora Marielle, para reforçar a tese de perseguição política.

Assim, meus prezados, esse sujeito histérico, mal educado e mentiroso vai construindo a imagem de perseguido e de exilado político objetivando retornar do "exílio" nas próximas eleições fortalecido para, quem sabe, disputar cargos mais importantes na vida pública. Afinal, já tivemos outros ex presidentes, deputados e senadores se valendo da mesma condição, lembram?

Não se deixe enganar pelo jornalismo brasileiro, infestado de comunistas que desejam apenas a destruição do Brasil.

Grupo Militares e Reservistas do Exercito.

Um comentário:

  1. Lembrando a Lava-jato vai lhe buscar em casa não esqueça disso Lindinho

    ResponderExcluir