sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

O alvo desta vez foi a Ministra Damares.

Ministra Damares é acusada por indígenas de sequestrar criança, diz revista.


Segundo a 'Época', indígenas afirmam que criança foi levada do Xingu e nunca devolvida. Ministra diz agora que é "cuidadora" da hoje adolescente e que ela não perdeu contato com familiares.


Damares Alves, ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, foi acusada por índios Kamayurá de sequestrar uma criança da aldeia, segundo reportagem da revista Época publicada nesta quinta-feira. Kajutiti Lulu Kamayurá, atualmente com 20 anos, teria sido levada quando tinha apenas seis, em 2005. Damares se referia a ela como sua filha adotiva, apesar de, segundo a revista, nunca ter tomado as medidas formais de adoção. Dentre elas, a pastora precisaria de autorizações da Justiça e da Fundação Nacional do Índio (Funai). De acordo com os índios ouvidos pela revista, Lulu deixou a aldeia para fazer um tratamento dentário levada por Damares e sua amiga Márcia Suzuki, que se apresentavam como missionárias, e nunca mais voltou.

Damares informou que “todos os direitos de Lulu Kamayurá foram observados. Nenhuma lei foi violada. A família biológica dela a visita regularmente. Tios, primos e irmãos que saíram com ela da aldeia residem em Brasília. Todos mantêm uma excelente relação afetiva". A ministra afirmou que “Lulu Kamayurá já retornou à aldeia. Ela deixou o local com a família e jamais perdeu contato com seus parentes biológicos”.


Tanto a revista EXAME, as mídias que reproduzem a matéria e os que publicam nas redes sociais, são instrumentos a serviço da desinformação. Assim como fizeram com Flávio Bolsonaro, vão publicando ficções e mentiras que de tanto serem repetidas, acabam acreditando como verdades.


Liderança indígena Ysani Kalapalu denuncia equipe da Revista Época/Jornal O Globo.


Liderança indígena sai em defesa da Ministra e denuncia a revista ÉPOCA e o jornaleco O GLOBO, que desvirtuaram a verdade para transformar numa acusação infundada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário