sábado, 29 de junho de 2019

O que nos faz melhor É O NOSSO CARÁTER!!!

Hoje conversando com uma amiga que votou em Haddad perguntei:
Você acha que os pedófilos votaram em Haddad ou Bolsonaro? 
Ela disse: Haddad.

Você acha que o estuprador votou em Haddad ou Bolsonaro ?
Ela disse : Haddad

Você acha que os traficantes votaram em Haddad ou Bolsonaro?
Ela disse: Haddad.

Você acha que os ladrões votaram em Haddad ou Bolsonaro?
Ela disse: Haddad.

Você acha que o grupo MST que invadem terras e destróem plantações votaram em HADDAD ou Bolsonaro ?
Ela disse : Haddad

Você acha que aquele menor que rouba seu celular,bate e aponta uma arma na sua cabeça votou no Haddad ou no Bolsonaro ?
Ela disse : acho que no Haddad.

Você acha que aquelas pessoas que se manifestaram nuas,quebraram imagens de nossa senhora e colocaram uma cruz na bunda votaram em quem ?
Ela me respondeu : Haddad

E aqueles que rasgaram a nossa bandeira,atiaram fogo, votaram em HADDAD ou Bolsonaro ?
Nessa hora ela demorou um pouco pra responder.

Vc acha q os integrantes das facções criminosas espalhadas pelo Brasil votaram em Haddad ou Bolsonaro?

Reinou novamente um silêncio... e depois respondeu : 
No Haddad 

Aí eu disse: 
Então, você acha que eu deveria votar em quem ? 
No mesmo candidato desses bandidos todos ?

O que nos faz melhor jamais será nossa opção sexual, nossa cor, nossa opção religiosa, TODOS SOMOS IGUAIS ...

O que nos faz melhor É O NOSSO CARÁTER!!! 

sexta-feira, 28 de junho de 2019

Quem são os traficantes de drogas?


Há anos casos de trafico de drogas com veículos militares são descobertos e divulgados, sendo rapidamente abafados pela mídia assim que começam as ligações políticas dos envolvidos.

Porém, a Justiça Militar nunca se omitiu nestes casos, levando os acusados a julgamento e, obedecendo o princípio constitucional da ampla defesa e do contraditório, os condenou a penas severas com perda de graduação e patente.

Vamos passear por alguns casos e tirem suas conclusões:

2015

Condenado por traficar cocaína em aviões da FAB, coronel perde posto.


O Superior Tribunal Militar determinou a perda de posto e de patente de um coronel condenado por traficar cocaína em aviões da Força Aérea Brasileira. Ele já havia sido condenado na Justiça Federal a 16 anos pelo crime. De acordo com o processo, o homem integrava uma quadrilha especializada na venda internacional de entorpecentes para a Europa. A decisão foi unânime.

De igual modo, irrelevante se torna sua condição de inativo, pois, mesmo nessa situação, compromete o prestígio e a respeitabilidade da Força a que pertence, não só pela gravidade do delito praticado, mas pelas repercussões nefastas que se espraiam no meio militar e na vida civil, não só no Brasil, mas no exterior, onde os fatos tiveram repercussão, denegrindo a imagem e o conceito dos militares, em especial os da Força Aérea Brasileira, e dos brasileiros em geral" (Trecho de sentença do STM - Superior Tribunal Militar).



2019

Mandetta diz que há tráfico de drogas em aviões do Ministério da Saúde e pede investigação da PF.

ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, declarou que há aviões pagos com recursos da pasta que fazemtráfico de drogas e pediu que a Polícia Federal investigue o caso. A suspeita recai sobre contratos na área de saúde indígena da pasta. Mandetta destacou que a pasta gasta mais de R$ 700 milhões em atividades "meio" na saúde indígena, e ao destacar os recursos destinado a transporte fez a acusação.

Porque o traficante ganhou a licitação e o SUS é uma excelente maneira de você fazer tráfico — afirmou o ministro.

2007
Agora este caso nos parece muito estranho, assim como surgiu, foi abafado depois da interferência de Lula, que mandou uma fragata da Marinha Brasileira para buscar o barco, a droga e os traficantes. nenhuma palavra da imprensa e nunca mais se ouviu falar sobre o assunto.
Dois anos depois da Polícia Federal realizar, em Fortaleza, a apreensão recorde de 1,2 tonelada de cocaína, em um navio cargueiro que seguiria para o Senegal, mais um fato comprova que o Ceará é um dos principais pontos da rota internacional de cocaína para a África e Europa. Três pescadores cearenses estão detidos na Superintendência da PF, em João Pessoa (PB), acusados do mesmo tipo de crime.

Os acusados, identificados como Francisco Alves Pereira da Silva, 59 anos; Neírton Manoel do Nascimento, 55; e Ricardo Alves da Silva, 47; chegaram presos ao Brasil, na noite do último domingo, depois de uma viagem que durou 13 dias, num percurso de 2.500 milhas náuticas, o equivalente a aproximadamente cinco mil quilômetros. Eles haviam sido detidos pela Marinha francesa no dia 8 de junho último, em águas internacionais.
Na noite de domingo passado, os três cearenses e o boliviano desembargaram da fragata brasileira ‘Greenhalgh’, no Porto de Cabedelo, na Paraíba, e foram levados para a sede da PF, em João Pessoa.

Já a embarcação ‘Sabala’, foi também trazida de volta ao Brasil juntamente com o carregamento de cocaína. O pesqueiro ‘Sabala’ foi rebocado até o Porto de Cabedelo pelo navio-patrulha ‘Guaíba’, pertencente ao 3º Distrito Naval, sediado em Natal (RN).

A detenção dos quatro homens na embarcação cearense foi comunicada no dia 20 de junho à Marinha do Brasil , que, então, enviou à costa africana a fragata ‘Greenhalgh’, com a missão de trazer os quatro presos, assim como a droga. 
2019
Então o sargento é filiado ao PT, né?

O militar detido com 39 quilos de cocaína — costumava fazer muitas viagens levando assessores presidenciais em aviões da FAB.

Em 2017, por exemplo, ele fez parte da tripulação que levou o então presidente Michel Temer de Brasília a São Paulo no dia 10 de fevereiro.



Portanto, é fácil para os imbecis da esquerda se apressarem em fazer acusações ao governo Bolsonaro, quando os endeusados por eles estão até o pescoço enfiados nesta lama.


Mulher viaja 70 horas para comemorar ''soltura'' de Lula, perde emprego e pede ajuda para voltar para casa em rodoviária.



Fã do PT de carteirinha, Antônia Santos (Toinha), Viajou 70 horas do Pernambuco até Curutiba-PR para comemorar "soltura" de Lula, além do HC ser recusado por 3 a 2, ainda acabou perdendo seu emprego no Pernambuco e agora esta abandonada pelos militantes do PT, CUT e MST alem de desempregada, sem dinheiro para pagar passagem de volta, ainda, teve que vender a moto para arcar com as despesas da ida.

Revoltada, Toinha disse que não irá mais participar de nada em relação ao PT e Lula. “Tem mais jeito não, é mais fácil eu beber leite de onça do que eu ver ele solto e sendo presidente de novo”. A mulher se encontra sozinha na rodoviária pedindo doações e esperando um filho de Deus lhe ajudar a voltar para casa.

Desde a semana passada, a movimentação de ônibus levando petistas de São Paulo, Rio de Janeiro e de outros estados para Curutiba-PR era intensa. A maioria das caravanas era formada por integrantes do MST.

Em frente à sede da Polícia Federal, a vigília aumentava a cada hora com a expectativa da votação que garantiria a soltura de Lula até o julgamento da análise do mérito que deverá ocorrer em agosto.

O HC que pedia a soltura do ex-presidente Lula foi rejeitado pela segunda turma do STF por 3 a 2.



quarta-feira, 26 de junho de 2019

A Sociedade dispensa ser "tutelada"!

O Exercito é o mesmo de 64, mas, as circunstancias mudaram. (General Villas Bôas)


Sempre militei por uma Intervenção Militar como forma de colocar o Brasil novamente nos trilhos da ordem e do progresso, mas hoje não vejo como uma saída democrática que valorize seu povo e o coloque num patamar de soberania sobre os destinos do Brasil.

Estamos no século XXI e não em 64! Hoje temos muito mais informação e poder de mobilização a nosso dispor através das redes sociais.

Nós somos os principais mandatários deste País!

A propaganda "intervencionista" volta a baila com as ações do Congresso e do STF, mas deve ficar claro que a esquerda possui sua inteligencia e sua contra informação. Neste diapasão os artigos constitucionais apresentados, como o 1º e 142, carecem de interpretação inequívoca, o que pode levar a uma convulsão social pior do que a provocada pelo Congresso e STF.


As Forças Armadas jamais cogitaram uma Intervenção Militar com tomada abrupta de poder, só a cogitaram com a forma que vem acontecendo. Ou acham que as urnas não foram fraudadas? Haddad só não levou graças a Intervenção feita pelas Forças Armadas através de seus profissionais em informática (IME e ITA) que tornaram impossível uma fraude dantesca.


Como militar desde meus 15 anos de idade (hoje com 61) posso afirmar que a esquerda na década de 70 já premeditava ter hoje um General quatro estrelas em condições e possibilidade de assumir o governo em caso de uma Intervenção Militar. Muitos foram detectados durante o curso e foram desligados, mas, certamente, um minimo conseguiu burlar as barreiras e galgar todos os postos.


Depois de mais de 30 anos com governos tendenciosamente esquerdistas e com grande possibilidade de continuidade, conseguimos eleger a Direita para governar o País e neste momento de vitória ir para as ruas eleger uma Intervenção Militar é declarar nossa incompetência de decisão sobre o futuro de nossa Nação.


Ninguém disse que seria fácil, é uma luta contínua fortalecendo a Democracia, luta esta em que não podemos esmorecer. Estejamos sim nas ruas toda vez que formos convocados e que se fizer necessário, a Democracia deve ser salva e preservada com nossa atenção contínua e não com a desatenção que tivemos nos últimos 30 anos.

BRASIL ACIMA DE TUDO, DEUS ACIMA DE TODOS!

terça-feira, 25 de junho de 2019

Governo anuncia medida para redução em 40% do preço do gás e da energia.


O Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), aprovou nesta segunda-feira (24/06) resolução que visa abrir o mercado e quebrar o monopólio da Petrobras no setor de gás, visando com isso reduzir o preço do produto. De acordo com a resolução, a medida levará a abertura da concorrência no mercado de gás natural aumentando a competição, impactando positivamente no orçamento das famílias brasileira.
A previsão é de uma redução de 40% no preço do gás natural dentro de dois a três anos, o que vai trazer impacto positivo para a economia. O Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, disse que em termos de política pública será permitido a abertura do mercado, que hoje está concentrado basicamente nas mãos de um agente, a Petrobras. Segundo o ministro, a resolução vai permitir que novos operadores entrem no setor.
O Ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta segunda-feira que “um choque de energia barata é tudo que todos sonham”. Ele também afirmou que existe um otimismo muito grande no setor, e que isso irá fazer o Brasil crescer.
Paulo Guedes ainda ressaltou que há possibilidade de o preço da energia cair cerca de 40% em menos de dois anos: “nós vamos ter pelo menos três fontes diferentes, pré-sal, Bolívia e Argentina, e vamos jogar tudo numa estrutura, o que deve reduzir o preço na energia em cerca de 40% em menos de dois anos.” Ainda segundo Guedes, uma queda de 40% no preço da energia irá fazer com que o PIB industrial aumente em 8.46%.
A resolução será encaminhada para aprovação do Presidente Jair Bolsonaro, que irá apresentá-la ao Senado e depois na Câmara dos Deputados, cabendo ao Congresso sua análise e estudos dos dados, que poderá se tornar um projeto de lei.

Maia e Alcolumbre, pouco estudo, muito poder e profissão “político”.

Se possuir Ensino Superior Completo fosse requisito para assumir vaga no Poder Legislativo, Rodrigo Maia não seria hoje presidente da Câmara dos Deputados, nem Davi Alcolumbre estaria à frente do Senado Federal.
Ambos não completaram uma graduação. A título de profissão, um se declara "político" e o outro "comerciante".
Ambos controlam a criação das leis, um orçamento de R$ 10 bilhões e ainda querem impor um Parlamentarismo tupiniquim para controlar, também, o Poder Executivo.
O Brasil é realmente um espetáculo!
Helder Caldeira, Escritor, Colunista Político, Palestrante e Conferencista. *Autor dos livros “Águas Turvas” e “A 1ª Presidenta”, entre outras obras.

domingo, 23 de junho de 2019

Desarmar para dominar, a estratégia esquerdista.


Não cabe repetir o que o especialista em segurança pública Benê Barbosa divulgou amplamente em entrevistas a jornais e televisões, e reiterou aos próprios deputados no Congresso. Também não vou repetir o que o deputado federal Eduardo Bolsonaro divulgou nas suas redes sociais sobre a obviedade de um cidadão comum ter o direito à legítima defesa pelo uso de armas de fogo.
Vou apenas lançar perguntas para reflexão: Será que os venezuelanos já não teriam tirado o ditador Maduro do trono, se não tivessem sido desarmados? E a dona de casa que passa o dia inteiro sozinha, será que ela teria conseguido se safar do estupro pelo ladrão que invadiu sua casa à plena luz do dia, se tivesse uma arma consigo? Raciocinando como os ladrões, quem você escolheria para ser sua vítima: alguém desarmado ou alguém possivelmente armado?
Se a esquerda fecha os olhos a essas obviedades, talvez seja por ter outros objetivos, mais altos e mais nobres, para deixar a população sem o direito a sua própria defesa. E assim como fizeram Fidel Castro, Stálin, Mao, Hitler e outros, que desarmaram a população antes de implantarem suas respectivas ditaduras, a esquerda continua adepta dessa tática de guerra contra o povo: temem que uma população armada se volte contra algum deles que tomar o poder e impuser o socialismo/comunismo à força.

Na última terça-feira, 18/6/19, o decreto do presidente Jair Bolsonaro que propôs flexibilizar a posse e o porte de armas no Brasil foi rejeitado pelo Senado por 47 votos a 28. A fala do senador Humberto Costa (PT-PE) na tribuna revela e sintetiza o pensamento esquerdista: “… portanto, nós temos que garantir que o monopólio da força pertença ao Estado”.
Em resposta ao ministro-chefe da Casa Civil Onyx Lorenzoni, para quem “armas não matam, quem mata são pessoas”, João Henrique Campos (PSB-PE) lançou uma pérola que também simboliza a mente revolucionária:
“Queria pedir licença para, com todo respeito, discordar dos companheiros que dizem um jargão clássico de quem defende as armas, de que as armas não matam, quem mata são as pessoas. Esse argumento, senhores, ele é contra a flexibilização do porte e da posse de armas. Porque, se quem mata são as pessoas, e eu concordo, não vamos colocar as armas nas mãos das pessoas. […] Fazendo isso, a gente vai estar fazendo o que vocês mesmos dizem, as pessoas que matam”.
É um sofisma, sem dúvida. Um raciocínio verdadeiro na aparência, mas que procura confundir a mente do interlocutor. Quando Onyx Lorenzoni diz que pessoas matam, ele simplesmente quer dizer que as armas são instrumentos e é necessário um ser inteligente que acione o gatilho com a intenção de atirar em alguém. As armas não saem disparando como robôs.
Explicar isso é ridículo. Mas a mente revolucionária torce as boas intenções por trás das palavras e o argumento desse deputado esquerdista torna-se apenas um labirinto mental, de significado irrelevante. Embutido nessa falácia, persiste o medo, alojado no subconsciente das pessoas devido à longa propaganda antiarmamentista, anterior ao referendo de 2005.

Sem fazer a distinção de que a lei do desarmamento se aplica apenas às pessoas de bem (pois bandido não segue a Constituição nem lei alguma), as pessoas já mudam de posição na cadeira, os pelos do braço se arrepiam, os olhos ganham uma expressão de “ai que horror, é perigoso” e o medo impera. A imagem mental desse medo as paralisa e elas têm dificuldade de pensar no assunto. Como se só de pegar numa arma, a pessoa fosse se descontrolar e sair atirando em quem ela visse pela frente.
Como afirma Benê Barbosa, para ter posse da arma é necessário: ter 25 anos, residência fixa, comprovação de renda lícita, certidão negativa em todas as esferas, teste prático de tiro, laudo psicológico com psicólogo credenciado pela PF e pagamento de taxas. Sai caro e é trabalhoso.
Breve, sabemos que o Estado não garante nossa segurança. Os ladrões sabem disso também. Mas o Estado não pode ter o “monopólio da força”, como defendeu Humberto Costa. A legítima defesa é um direito natural de todo ser-humano.
Resta nos perguntar até quando a esquerda vai insistir em tornar a sociedade refém de sua ideologia criminosa?

Grupo Bandeirantes cai numa cilada ante a irresponsabilidade de Reinaldo Azevedo.



.


O Grupo Bandeirantes de Comunicação, historicamente reconhecido por sua responsabilidade editorial e profissionalismo, caiu numa cilada ao permitir que um de seus contratados fechasse parceria com um tabloide digital para divulgar notícias falaciosas baseadas no produto de atos criminosos.

O tabloide, com autorização do colunista, está usando a Rádio BandNews FM para tentar "lavar" a sujeira grossa que envolve a suposta obtenção de dados privados roubados dos telefones celulares de Ministros de Estado, Magistrados e Procuradores da República.

Na manhã desta sexta-feira (21), a força-tarefa da Operação Lava Jato, Ministério Público Federal - MPF, divulgou uma nota oficial duríssima contra o colunista do Grupo Bandeirantes de Comunicação. Eis um trecho contundente:

"Além de desrespeitosa, mentirosa e sem contexto, a publicação de Reinaldo Azevedo não realizou a devida apuração, que, por meio de simples consulta aos autos públicos acima mencionados, evitaria divulgar movimento fantasioso de troca de procuradores para ofender o trabalho e os integrantes da força-tarefa. Como o site 'The Intercept Brasil', de quem se diz parceiro, Reinaldo Azevedo, de modo tendencioso, tentou criar artificialmente uma realidade inexistente para dar suporte a teses que favoreçam condenados por corrupção e lavagem de dinheiro na Lava Jato."

Trocar credibilidade por audiência é um equívoco brutal. Especialmente quando um pessoa macula e coloca em xeque décadas de consagrada história. Lamentável.

#ÉaLama

Por Helder Caldeira,
Escritor, Colunista Político, Palestrante e Conferencista
Autor dos livros “Águas Turvas” e “A 1ª Presidenta”, entre outras obras.

Jornal da Cidade - Brasil Soberano e Livre

sexta-feira, 21 de junho de 2019

GRANDE IDEIA!


A mais rica cidade do Brasil é atravessada de ponta a ponta, ao longo de quase 25 quilômetros, por um dos mais extensos, perigosos e sinistros esgotos a céu aberto do planeta ─ o Rio Tietê. Essa fossa, riquíssima em tudo o que pode haver em matéria de coisa podre, de lixo e de tóxicos em seus estados mais agressivos, é confinada entre avenidas gigantes dos dois lados, as célebres “Marginais”, pelas quais passam diariamente cerca de 2 milhões de veículos com toda a emissão de gás carbônico a que têm direito. Um sujeito que cair ali dentro pode perfeitamente não ter tempo de se afogar ─ corre o risco real de morrer envenenado antes, no meio da pasta química mortal que substitui há décadas a água corrente do rio. Nenhuma forma conhecida de vida sobrevive dentro desse horror. Isso é só uma parte do problema. Pouco antes de sair do município de São Paulo, em direção à sua foz 1.100 quilômetros adiante, o Tietê encontra o canal do Rio Pinheiros ─ outro sério concorrente ao título de Oitava Maravilha da Poluição Urbana do Mundo, negro de imundície e igualmente ladeado por duas avenidas de tráfego insano. Sua única vantagem: é um pouco mais curto que a cloaca irmã.
Parece claro que existe aí um problema ambiental monstruoso, desses que teriam de ser resolvidos antes de quaisquer outros pelas autoridades e defensores da natureza em qualquer país mais ou menos civilizado do mundo ─ até porque prejudica diretamente os 21 milhões de brasileiros que moram na área metropolitana de São Paulo. Parece, mas não é. Não apenas não é: não passa pela cabeça de ninguém que possa ser assim, entre os milhares de ambientalistas, ecologistas, engenheiros ambientais, naturalistas, indigenistas, procuradores, fiscais e o resto dos burocratas que infestam as repartições de defesa do meio ambiente nos três níveis da administração. Isso sem contar, naturalmente, com as ONGs “do verde”; para essas, então, falar em poluição urbana é praticamente um crime. A única questão ambiental válida, em tal mundo, é o pacote que engloba florestas, cerrados, mangues, ilhas perdidas, fauna, flora, bagres de rio ─ tudo, em suma, que não inclua o ser humano, salvo se ele for índio. O Rio Tietê que se dane. O que interessa é pegar o cidadão que cortou um pé de gabiroba num sítio perdido em algum fim de mundo, ou exigir prisão inafiançável para o infeliz que matou um macaco-prego no sertão do Ceará.
O verdadeiro desastre ambiental do Brasil do século XXI não está no meio do mato, e sim na cara de todo o mundo, todos os dias; não afeta sapos ou papagaios, mas mata gente de carne e osso. Centenas de cidades brasileiras com mais de 50.000 habitantes são envenenadas por rios mortos como o Tietê e o Pinheiros. Não menos que 50% da população, ou 100 milhões de pessoas, não dispõem de esgotos. Uns outros 40 milhões, possivelmente, não têm acesso a água tratada de boa qualidade. Há 3.000 lixões em pleno funcionamento em 1.600 cidades por todo o país ─ aterros ao ar livre onde lixo e todo tipo de detritos são jogados e abandonados, sem qualquer tratamento. Desde 2014 não deveria mais existir nenhum lixão aberto no Brasil, por exigência da lei; só que há mais lixões hoje do que havia cinco anos atrás. Essas cordilheiras de dejetos contaminam a água, poluem o ar e envenenam o solo. Cerca de 95 milhões de cidadãos, segundo cálculos das empresas de limpeza pública, têm sua saúde e qualidade de vida diretamente prejudicadas pelo descarte no lixo no meio da população em geral.
Mas quem é que está ligando para isso, entre os autocratas ambientais? Suas paixões são outras. Entre os surtos que vivem tendo, tornou-se conhecido, recentemente, o bloqueio que o Ministério Publico comanda há oito anos contra a construção da linha mestra de transmissão de energia elétrica em Roraima. Como os 350 índios waimiri ─ isso mesmo, 350 ─ que vivem nos 225.000 quilômetros quadrados de Roraima têm objeções ao linhão, o MP vem vetando sistematicamente as obras, desde sua aprovação em 2011. Com isso, a maior parte do território do Estado, e seus 500.000 habitantes, não recebem um único watt de eletricidade brasileira. São obrigados a depender de fornecimento importado da Venezuela ─ que hoje não consegue produzir nem papel higiênico, e vive falhando na entrega. Há, agora, um esboço de solução. A população de Roraima reza.
O universo ecológico diz que o Brasil deveria, ao mesmo tempo, eliminar seus problemas ambientais urbanos, permitir o progresso e preservar a natureza. Grande ideia. É só executar.

J.R. Guzzo

quarta-feira, 19 de junho de 2019

Dilma e Gleisi Hoffmann com comunistas da Rússia?

Ora, ora, ora... Olha quem esteve na Rússia, Dilma Rousseff acompanhada de Gleisi Hoffmann!


Fizeram uma visita, SECRETA, a Rússia há cerca de dez dias! Ambas estiveram em Moscou entre os dias 4 e 5 de junho para uma reunião "abafada" com o partido comunista Russo, ou seja, "casualmente" 5 dias antes de Glenn Greenwald publicar a bomba semiótica "#VazaJato".


Nenhum veículo de comunicação no Brasil noticiou, nem as comunistas brasileiras anunciaram em suas redes sociais. Elas só não contavam que as fontes russas informariam os brasileiros desta movimentação atópica do Partido Comunista Russo com as comunistas tupiniquins.



Parece que as coisas começaram a fazer sentido, afinal! #PavãoMisterioso trouxe à tona o hacker russo Evgeniv Mikhailovich Bogachev, também conhecido como Slavic, o hacker mais procurado do mundo e a serviço do serviço secreto russo.


Uma coisa é certa! Nem Dilma nem Gleisi devem saber falar russo, muito menos efetuar pagamentos em criptomoedas.


Conforme relato nos posts no Twitter o pagamento feito a Slavic foi de 84 BTC que foram convertidos para US$ 308 mil e enviados para um banco no Panamá, convertidos para Ethereum e de lá para contas na Rússia e na China.





terça-feira, 18 de junho de 2019

THE INTERCEPT E O DESMAME.

Você já teve aquela sensação, quando criança, de ir todos os dias na geladeira e pegar um Danoninho? Você vai de novo e de novo e sempre quando abre a porta, seus olhos brilham diante do Danoninho em abundância. Então, algo incomum acontece, você abre o refrigerador com toda convicção e, pimba, não há mais Danoninho lá. A primeira sensação é de vazio, a próxima, de revolta. Ao ser informado que as coisas estão mudando dentro de casa e não haverá mais Danoninho porque a justiça, digo, seus pais interromperam seu “esquema” com o refrigerador, seu sentimento de revolta vai aumentar sob uma indignação inconsolável gerada pelo “desmame” de Danoninho. Afinal, ele sempre esteve lá, era tão natural e fazia parte do seu modus operandi desde sempre. Você, então, vai tentar qualquer coisa para reverter essa desconfortável condição.
Portanto, The Intercept representa toda essa gente abstinente de Danoninho, digo, de porcentagens, desvios, comissões e propinas. The Intercept são todas as “vítimas” do desmame que a lava Jato tem produzido nos últimos anos. Um autêntico exército de órfãos da velha corrupção sistêmica ainda incrédulos que seus naturais esquemas os estão levando em cana e, pior, fazendo devolver a grana. The Intercept são todos aqueles que apertam a teta que não dá mais leite. The intercept é o stablishment consolidado nos últimos trinta anos de “democracia madura”, The Intercept é o medo da cadeia, é o deputado que você votou, é o juiz de tribunal superior indicado pelo crime organizado, The Intercept é a grande mídia que viu seus recursos bilionários secarem em publicidade, The intercept são os lobistas, empresários, atravessadores, doleiros assistindo sua demanda suprimir, The intercept são todas as vítimas do desmame esperneando. Uma máfia interessada em enterrar a maior operação anticorrupção do mundo moderno.
Então, The Intercept é robusto e vai desde o vereador da sua cidade até os canalhas mais clássicos da república desejando o caos institucional a fim de reestabelecer seus cartéis lucrativos. Em contrapartida, The Intercept, não representa os milhões de pequenos e médios empresários, prestadores de serviço e trabalhadores que que funcionam 5 meses por ano pra manter a roda girando, temendo pela segurança e saúde de seus familiares. Mas se todos sabemos quem, de fato, é The Intercept, cabe saber se vamos permitir nos entregar de novo à nefasta “democracia de coalizão”, do toma lá cá, dos meios de comunicação cheios de verbas públicas propagandeando as “fake News” do governo, da indisciplina fiscal, de Lula, Temer, Cunha, Sarney, FHC, Aécio e quem mais quiserem.
Pare de protestar no seu grupo fechado de whattsapp, comece a pensar em expressar um apoio massivo ao combate à corrupção. Se você não gosta de se envolver, pelo menos, faça pelo seu filho antes que The Intercept lhe engula pela segunda vez. Pense sobre sair do casulo, pois, é isso que The Intercept mais teme…

César Gruendling, Cirurgião-Dentista e Professor.

sábado, 15 de junho de 2019

O Rio de Janeiro não precisa disso!

Acredite se quiser! 

Franceses fazendo turismo em uma favela do Rio de Janeiro!
Todo ano, milhares de turistas que chegam à cidade com o intuito de se aventurar em meio às vielas de uma comunidade, é o que comprovou pesquisa realizada pela Fundação Getulio Vargas (FGV), a pedido do Ministério do Turismo. No Aeroporto Galeão, mais da metade dos turistas ouvidos disse ter interesse em visitar favelas cariocas. O índice foi de 58,2%, entre os brasileiros, e 51,3%, entre os estrangeiros.

O interesse em visitar favelas é o mesmo de um safari na África, onde podem conviver num "habitat" selvagem e mostrar sua aventura.

Não bastasse a natureza das visitas, onde os mesmos observam as pessoas humildes como “animais no hábitat”, agora esses imbecis ainda fazem a exaltação do crime!

Como brasileiro e patriota dispenso esse tipo de turista, que com certeza leva dinheiro pro tráfico!



Nosso total repúdio à essa foto e a esse comportamento!

Vereador Major Elitusalem Freitas.

sexta-feira, 14 de junho de 2019

DEFESA FORTE, BRASIL FORTE!


Há 20 anos, civis e militares se uniam para construir uma pasta da Defesa. Era o início de uma transformação necessária para acompanhar as dimensões do Brasil no cenário geopolítico mundial e à modernização técnico-operacional da área militar. Engana-se quem pensa que são apenas duas décadas de história. As origens da Defesa vêm da criação dos ministérios da Marinha e do Exército, em 1822, e do Ministério da Aeronáutica, em 1941. Por isso, a nossa principal missão é preparar as Forças Armadas, mantendo-as em prontidão permanente para serem empregadas na defesa da pátria, na garantia dos poderes constitucionais, da lei e da ordem.
 
Com o tempo, a Defesa assumiu competência em outros temas importantes para a nação, em um constante esforço de manter as Forças modernas e compatíveis com a estatura do país. O ministério uniu o empenho de instituições sólidas de Estado, cujos projetos perpassam governos.
 
O trabalho conjunto possibilitou o aumento das capacidades operacionais das três forças, por meio de programas e projetos de transferência e desenvolvimento de tecnologias, como Submarinos (Prosub); o Sistema de Mísseis e Foguetes Astros 2020; o Projeto FX-2, para aquisição de aeronaves de caça Gripen; e o Sistema de Monitoramento de Fronteiras, importante no combate a ilícitos que se refletem na segurança das nossas cidades.
 
Sempre obediente aos princípios constitucionais que regem as relações internacionais, consolidamos uma diplomacia militar de Defesa, privilegiando a solução pacífica das controvérsias e apoiando o multilateralismo — o que nos assegura reconhecimento internacional.
 
Além de cumprir as nossas missões essenciais, temos compromisso com o desenvolvimento do país e com a formação da cidadania. Estamos engajados na construção de um Brasil mais justo, forte e economicamente desenvolvido. O programa Calha Norte é um exemplo de promoção do desenvolvimento regional com apoio da Defesa. Projetos sociais — como o Soldado Cidadão, que qualifica profissionalmente jovens do serviço militar inicial, e o Forças no Esporte, para atender crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social — mostram que o futuro do Brasil depende do esforço de todos nós.



E o que falar da alegria ao ver os atletas do Programa de Alto Rendimento das Forças Armadas levando as cores da nossa bandeira ao lugar mais alto do pódio? É o mesmo sentimento que move os jovens universitários do Projeto Rondon a conhecerem as complexas realidades sociais e culturais do Brasil.


 
São anos de trabalho intenso e silencioso, mas os desafios para a Defesa Nacional estão só no começo. Com o passar do tempo, as guerras mudaram de perfil. As ameaças também. Assim, precisamos pensar Defesa, entender Defesa, sua magnitude e os impactos nos interesses nacionais; fomentar e difundir uma cultura que deve inspirar novos interlocutores na sociedade.
 
Ser uma nação forte requer Forças Armadas compatíveis com sua magnitude e capazes de enfrentar novas ameaças que exigem preparo, planejamento e tecnologias de ponta para evitá-las ou combatê-las. Uma base tecnológica e industrial competitiva proporciona equipamentos modernos e capacidade de pronta resposta — importante fator na manutenção da estabilidade interna e nos permite cooperar com o mundo em tempos de paz.
 
Forças Armadas fortes dependem de uma economia sólida. A gestão estratégica e a previsibilidade de recursos orçamentários são fundamentais no processo. E o governo do presidente Jair Bolsonaro trabalha nesse sentido.
 
Sabemos do nosso papel de tecer a estabilidade para que as pessoas tenham a liberdade de fazer escolhas. Manter o equilíbrio num ambiente de transformações é nosso desafio. Precisamos ser fortes para dissuadir e não compensar aventuras. Contribuir para o progresso do Brasil também é nossa tarefa.


General de Exército Fernando Azevedo, Ministro da Defesa

terça-feira, 11 de junho de 2019

Com a certeza de ter votado certo!


Essas são as condições de trabalho da UPP Mangueira que o Capitão Delfim, orientado pelo Coronel Pimenta, tentou ocultar da nossa Comissão !



É nesse projeto que o Município do Rio de janeiro colocou mais de um bilhão de reais em dez anos.

Esses contêineres são os alvos preferidos dos narcotraficantes, pois sabem que não possuem nenhuma blindagem. São feitos de lata! 

Nos contêineres ficam os policiais chamados de "residentes", que moram em municípios distantes do Rio e que são obrigados a ficar dias seguidos longe de suas famílias, pois, não há transporte e a verba de cem reais por mês não dá para passagem e muito menos para combustível. Considerando que muitos levam seis horas em deslocamento de ida e volta e dependendo da escala, não compensa este deslocamento; vivem esses guerreiros em condições sub humanas que a PMERJ e o Estado do Rio de Janeiro lhes proporciona com aquiescência de comandantes, afetados pela distância da família.


As fotos falam por si! Não vamos nos calar e seguiremos na luta por dignidade de todos os agentes de Segurança Pública, Sociedade de bem e pela correta destinação do dinheiro público do Município!
Precisamos de ações concretas em prol do efetivo policial @wilsonwitzel, essa é uma delas!

Isso é patrimônio público, deixado no tempo, sem manutenção, para se deteriorar e não ter mais nenhuma condição de recuperação.

É o fim dos tempos quando um comandante proíbe a tropa de tirar foto com uma liderança que defende essa tropa! 

Nossa Comissão Especial foi impedida de trabalhar. Qual a razão de não permitirem que mostremos as condições de trabalho dos nossos policiais?
O Município do Rio não pode continuar alocando recursos onde não há transparência, já passa de um bilhão de reais investidos sem a garantia de retorno!


Tomaremos as medidas legais cabíveis contra àqueles que querem impedir a ação do parlamento, segundo o Capitão Delfim a ordem foi do Cel PM Jorge Fernando Pimenta!


Vereador Major PMERJ Elitusalem Freitas

Isso sim é pimenta, a outra é fresca.

"Pimenta" no esfincter anal dos outros é refresco! Que tal um "VaiTomateCrú" para o Pimenta?

segunda-feira, 10 de junho de 2019

PT admite que obstruiu credito suplementar para o governo não pagar Bolsa Família.

VICE-LÍDER DO PT ADMITE QUE OBSTRUÍRAM CREDITO SUPLEMENTAR PARA O GOVERNO NÃO PAGAR BOLSA FAMÍLIA.



O vice-líder do PT na Câmara, Carlos Zarattini, fez um tuíte dando a entender que a manobra da oposição para obstruir a votação do crédito suplementar teve como objetivo impedir que o governo tenha recursos para pagar Bolsa Família e benefícios previdenciários, ou seja, manobra totalmente eleitoral que prejudica o Brasil.
Disse ele: “Oposição manobra e governo não consegue crédito extra de R$ 248 bilhões. Com sucessivas obstruções da oposição, líderes decidiram suspender a sessão. O governo precisa deste dinheiro até 15 de junho para pagar Bolsa Família, benefícios previdenciários”.