sexta-feira, 29 de novembro de 2019

A apoteose de Gugu Liberato



Eu pouco conhecia sobre Gugu Liberato, somente que era um apresentador de programas televisivos de grande popularidade e audiência. Mas como toda pessoa pública de caráter, soube separar sua vida privada da profissional e em ambas foi vencedor.
Não poderia uma pessoas como ele sair de cena sem que fosse conhecidos depoimentos de tantos a quem ajudou, a quem amparou e a quem trilhou caminhos.

E, ao sair de cena, fez como aqueles que são incluídos entre os deuses e como na mitologia, fez brilhar sua apoteose. Uma apoteose que, ao meu ver, foi tão ou mais impressionante que sua obra, foi uma demonstração da pessoa que foi, sem deixar dúvidas que tinha sentimentos de amor ao próximo, mesmo que este não estivesse tão próximo.

A Família fez cumprir sua vontade em vida, que seus órgãos fossem retirados e aproveitados no maior número de pessoas possíveis, tendo alcançado cerca de cinco dezenas de pessoas que ele sequer conhecia, nunca tinha visto, seu amor e consideração era por todos que precisassem.

Uma apoteose fantástica! O Gugu certamente mereceu todas as honrarias que teve, não só por sua obra, pelas pessoas que ajudou em vida, mas, por essa grande manifestação de amor.

Apoteose: Ação de incluir entre os deuses; deificação. Cerimônia de deificação dos imperadores e heróis, depois de sua morte. Cena final nas peças alegóricas ou fantásticas, em que as personagens estão representadas numa espécie de glória celeste. O ponto mais importante de uma situação, acontecimento, ação; ápice.

Gugu Liberato continua vivo em diversas pessoas, principalmente nas que receberão seus órgão transplantados, sua mais grandiosa manifestação de amor ao próximo.






Nenhum comentário:

Postar um comentário