quarta-feira, 8 de abril de 2020

Mascaras do terror!


As mascaras sempre tiveram suas representações na sociedade, desde o passado até a atualidade.

Podiam significar alegria, humor, tristeza e assim por diante de acordo com o personagem teatral. Hoje é muito comum nos políticos, para esconder sua verdadeira índole.

Em tempo de coronavírus optou-se pelas mascaras de proteção, que a princípio deviam ser as cirúrgicas usadas por médicos em centros cirúrgicos. Mas se tornaram raras no mercado onerando em muito seu valor.


No meu tempo de infância eram comuns as mascaras de carnaval que remetiam ao medo, como as de clóvis (bate bola), morcegos e vampiros. As crianças saim em correriam para fugir dessas figuras.

Mascaras usadas em público em época de anunciada "pandemia" que não enche hospitais e mortes suspeitas, insuspeitas e diversas estão sendo atestadas como por COVID-19 causam temor, ainda mais se superdimensionada nas redes de televisão.


Apressadamente as mascaras cirúrgicas foram deixadas de lado e passaram a incentivar as "mascaras caseiras" como solução, o que não é verdade. Elas não têm o minimo de proteção contra vírus nenhum, pois deixam passar grande parte do que está presente no ar.

As mascaras caseiras recomendadas pela mídia não te protegem em nada!

Propagaram na verdade "MASCARAS DO TERROR", para amedrontar uma parcela cada vez maior da sociedade que se amedronta com tamanha "propaganda" negativa.

Os hospitais estão vazios!

Vai abestado! Coloca uma calcinha feminina sensual no rosto e saia às ruas, quem sabe assim diminua o terror e cause algumas risadas bem mais úteis para a imunidade.

Enquanto isso os mais pobres vão perdendo emprego, ficando sem dinheiro, sem trabalho, sem comida e dependendo de pessoas que arrecadam alimentos para distribuir entre os mais necessitados.


Nenhum comentário:

Postar um comentário